ESEnfC debate avanços nos cuidados neonatais

7 de Novembro 2022

A Escola Superior de Enfermagem de Coimbra (ESEnfC)/Centro Colaborador da OMS para a Prática e Investigação em Enfermagem promove, amanhã e quarta-feira (dias 8 e 9 de novembro), o I Seminário Internacional IINNCare: Inovação e Implementação em Cuidados Neonatais.

Os objetivos são: “discutir os avanços mais recentes na ciência de implementação de cuidados de saúde” e “recolher contributos das neurociências para a fundamentação de cuidados neonatais promotores do desenvolvimento”.

O seminário, em formato virtual (via Zoom), organizado pelo projeto IINNCare – Innovative Interventions in Neonatal Nursing Care (Intervenções Inovadoras em Enfermagem Neonatal), que está inscrito na Unidade de Investigação em Ciências da Saúde: Enfermagem (UICISA: E), conta, após a sessão de abertura, às 14h00, com a participação do enfermeiro pediátrico e professor na Universidade de Dalarna, na Suécia, Lars Wallin, responsável pela conferência “Implementation research: an international perspective”, às 14h30.

O panorama dos cuidados neonatais em Portugal, apresentado por Gabriela Mimoso, diretora do Serviço de Neonatologia do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, e em Cabo Verde, trazido por Maria Auxília Tavares, enfermeira no Serviço de Neonatologia do Hospital Universitário Dr. Agostinho Neto, assim como a inovação tecnológica para os cuidados neonatais, na perspetiva de Luciana Mara Monti, professora na Escola de Enfermagem Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, são assuntos em destaque na mesa-redonda que se segue, sobre “Cuidados Neonatais: perspetiva transnacional”, às 15h30.

Adriana Sampaio, professora auxiliar do Departamento de Psicologia Básica da Escola de Psicologia da Universidade do Minho, abre os trabalhos do segundo dia do seminário, ao proferir a conferência “Cuidados neonatais para o desenvolvimento: Neurociência e Epigenética”, às 9h30.

A apresentação do projeto IINNCare, pela professora da ESEnfC, Ananda Fernandes, as investigações em curso, a inovação no quotidiano dos cuidados neonatais e o papel da sociedade civil nos processos de investigação e de desenvolvimento das práticas de cuidados são temas em discussão na quarta-feira.

João Apóstolo, professor da ESEnfC e coordenador científico da UICISA: E, falará, por exemplo, sobre “ciência cidadã”, enquanto Paula Guerra, da Associação XXS, dará um contributo sobre as “associações de pais como motores de mudança das práticas de cuidados”, a partir das 14h00.

Num quadro em que, fruto da “melhoria dos cuidados perinatais, as taxas de sobrevivência de recém-nascidos prematuros aumentaram substancialmente”, e “apesar da crescente facilidade em aceder à síntese de evidências, mantêm-se, na prática clínica, as dificuldades em transpor o fosso entre o saber e o fazer”, sustenta a organização do I Seminário Internacional IINNCare: Inovação e Implementação em Cuidados Neonatais.

De acordo com a ESEnfC/Centro Colaborador da OMS para a Prática e Investigação em Enfermagem, “a produção, síntese e disseminação de conhecimentos não bastam para que sejam implementadas normas de orientação clínica e práticas inovadoras baseadas em evidências”. Daí que “a complexidade da implementação” a torne “um desafio transnacional”.

Partilhar experiências, referenciais teóricos e estratégias de implementação de práticas inovadoras em enfermagem neonatal, além de discutir o potencial do envolvimento dos utilizadores dos cuidados neonatais na produção, disseminação e implementação de práticas inovadoras, são outros objetivos deste seminário internacional.

Mais informações sobre o programa e os oradores deste encontro, que termina com uma atuação do Coro Juvenil da Escola Artística do Conservatório de Música de Coimbra, estão disponíveis no site do evento, em www.esenfc.pt/event/seminarioiincare.

PR/HN/RA

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Guadalupe Simões: Quantidade de atos “não se traduz em acompanhamento com a qualidade e segurança que qualquer pessoa deverá exigir”

Esta sexta-feira, Guadalupe Simões, dirigente do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, criticou a escolha do Governo de pagar pela quantidade de atos. “Quando o Governo diz que dá incentivos ou que dá suplementos financeiros se fizerem mais intervenções cirúrgicas, se tiverem mais doentes nas listas, se operarem mais doentes no âmbito dos programas do SIGIC, se, se, se, está sempre a falar de quantidade de atos, que não se traduz em acompanhamento das pessoas com a qualidade e segurança que qualquer pessoa deverá exigir”, explicou ao HealthNews.

Guadalupe Simões: “Reunião apenas serviu para o Ministério da Saúde promover essa chantagem tentando que nós suspendêssemos a greve”

A reunião entre o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) e o Ministério da Saúde “correu muito mal”. Na quinta-feira, “o Ministério da Saúde procurou chantagear o sindicato dizendo que só negociava se a greve fosse suspensa”, contou ao HealthNews Guadalupe Simões, dirigente do SEP, que, por esse motivo, pelos enfermeiros, pelos doentes e pelo SNS, espera que haja uma forte adesão à greve nacional de 2 de agosto.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights