14 mortos e 31 feridos graves em cinco dias da operação Páscoa da GNR

11 de Abril 2023

A operação Páscoa 2023 da GNR registou entre 06 e 10 de abril um total de 14 mortos e 31 feridos graves, em 969 acidentes nas estradas, segundo os dados provisórios hoje divulgados.

Em comunicado, a GNR informa que nos primeiros cinco dias da operação Páscoa foram fiscalizados 32.110 condutores, 414 dos quais conduziam com excesso de álcool. Destes, 260 foram detidos por conduzirem com uma taxa de álcool no sangue igual ou superior a 1,2 g/l.

A GNR acrescenta ainda que deteve outras 112 pessoas por conduzirem sem habilitação legal.

Das 5.900 contraordenações rodoviárias detetadas, a GNR destaca 3.210 por excesso de velocidade, 550 por falta de inspeção periódica obrigatória, 191 por anomalias nos sistemas de iluminação e sinalização, 166 por uso indevido do telemóvel durante a condução, 294 por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança e/ou cadeirinhas para crianças e 209 por falta de seguro de responsabilidade civil obrigatório.

A Operação Páscoa 2023 da GNR, que arrancou na quinta-feira, termina às 23:59 de hoje.

Esta operação visa a segurança e a proteção das pessoas, pelo que vai além da fiscalização rodoviária, sendo o esforço da GNR também orientado para os locais de festividades e suas imediações, assim como zonas residenciais e comerciais, dando especial atenção às “vias de circulação rodoviárias mais críticas”.

A GNR aconselha a uma condução atenta, cautelosa e defensiva dos condutores, para que o período festivo seja passado em segurança.

Para que as deslocações nesta época festiva sejam feitas em segurança, a GNR apela aos condutores para adequarem a velocidade às condições meteorológicas, ao estado da via e ao volume de tráfego rodoviário e evitarem manobras que possam prejudicar o trânsito ou originar acidentes.

Já a operação da Polícia de Segurança Pública (PSP) que decorreu durante a semana da Páscoa, entre 01 e 09 de março, terminou com um balanço de três mortes, 14 feridos graves e 361 feridos ligeiros em 1.199 acidentes, revelou na segunda-feira a força policial.

A PSP fez, na área de responsabilidade da polícia no território continental e nas regiões autónomas da Madeira e dos Açores, 664 operações de fiscalização ao nível da segurança rodoviária (num total de 823 ações), tendo sido fiscalizados 19.224 condutores, que registaram 2.584 infrações. Entre estas destacaram-se 713 infrações por excesso de velocidade, 397 por circulação em viatura sem inspeção e 105 por falta de seguro obrigatório.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Guadalupe Simões: Quantidade de atos “não se traduz em acompanhamento com a qualidade e segurança que qualquer pessoa deverá exigir”

Esta sexta-feira, Guadalupe Simões, dirigente do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, criticou a escolha do Governo de pagar pela quantidade de atos. “Quando o Governo diz que dá incentivos ou que dá suplementos financeiros se fizerem mais intervenções cirúrgicas, se tiverem mais doentes nas listas, se operarem mais doentes no âmbito dos programas do SIGIC, se, se, se, está sempre a falar de quantidade de atos, que não se traduz em acompanhamento das pessoas com a qualidade e segurança que qualquer pessoa deverá exigir”, explicou ao HealthNews.

Guadalupe Simões: “Reunião apenas serviu para o Ministério da Saúde promover essa chantagem tentando que nós suspendêssemos a greve”

A reunião entre o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) e o Ministério da Saúde “correu muito mal”. Na quinta-feira, “o Ministério da Saúde procurou chantagear o sindicato dizendo que só negociava se a greve fosse suspensa”, contou ao HealthNews Guadalupe Simões, dirigente do SEP, que, por esse motivo, pelos enfermeiros, pelos doentes e pelo SNS, espera que haja uma forte adesão à greve nacional de 2 de agosto.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights