Pessoas com problemas de adição podem increver-se online no SICAD para tratamento

23 de Junho 2023

As pessoas com problemas relacionados com comportamentos aditivos e dependências podem, desde hoje, inscrever-se num novo serviço digital do Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências (SICAD) para aceder às respostas existentes nesta área.

O serviço digital “Inscrição Pública” foi apresentado hoje pelo diretor-geral e pelo subdiretor geral do SICAD, João Goulão e Manuel Cardoso, respetivamente, num evento promovido do Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências, com o tema “Conhecer a realidade para intervir com qualidade”, que antecipou as comemorações do Dia Internacional contra o Abuso e Tráfico ilícito de Drogas, assinalado a 26 de junho.

João Goulão explicou que esta ferramenta é “uma porta de entrada para o sistema de resposta aos comportamentos aditivos e dependências”, que foi desenvolvida pelo SICAD em colaboração com os parceiros mais próximos, em particular, como as divisões de intervenção nesta área das Administrações Regionais de Saúde.

“Aquilo que pretendemos com este módulo é claramente melhorar a acessibilidade do cidadão, que tem problemas relacionados com comportamentos aditivos e dependências”, aos cuidados de saúde, acrescentou, por seu turno, Manuel Cardoso, explicando que o utente poderá inscrever-se diretamente para apoio especializado através do preenchimento de um formulário disponibilizado no ‘site’ do SICAD.

Manuel Cardoso explicou que este serviço visa agilizar o processo de inscrição “a quem quer ajuda” para tratamento, além de proporcionar uma “maior comodidade” aos utentes que não terão que se deslocar aos serviços.

“Por outro lado, em termos dos serviços, tem benefícios na tentativa de conhecer e gerir melhor a espera que existe”, porque, disse, citando João Goulão, “os poucos recursos que existem dificultam o acesso e, portanto, nessa perspetiva, há aqui uma melhoria”.

O subdiretor geral disse ainda que esta ferramenta vai também beneficiar os técnicos que faziam esta inscrição localmente, porque “não têm que gastar tempo” a preencher os dados do utente.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Álcool mata 2,6 milhões de pessoas por ano

O álcool mata 2,6 milhões de pessoas por ano, alertou hoje a Organização Mundial da Saúde (OMS), considerando que este número permanece “inaceitavelmente elevado”, apesar da descida ligeira que tem registado nos últimos anos.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights