Aprovada linha nacional de prevenção do suicídio e estudo de saúde mental

13 de Outubro 2023

O parlamento aprovou esta sexta-feira na generalidade as iniciativas de Livre e BE sobre a criação de uma linha nacional de prevenção do suicídio e de comportamentos autolesivos e a realização de um novo estudo epidemiológico de saúde mental.

Os projetos de lei foram aprovados por unanimidade na generalidade e vão baixar à comissão para serem debatidos na especialidade.

Por sua vez, as propostas do Chega sobre a prevenção do suicídio jovem e nas forças de segurança e do BE sobre criação de uma linha de prevenção no Serviço Nacional de Saúde (SNS) foram chumbadas pela maioria socialista.

Na véspera da votação, o Livre e o Bloco de Esquerda haviam defendido a criação de linhas de prevenção do suicídio e de comportamentos autolesivos que funcionassem 24 horas por dia, durante todo o ano.

O Chega e o PSD anunciaram nesse dia que aprovariam as iniciativas, enquanto o PS evocou as medidas que tomou, como o aumento do número de psicólogos no SNS e remeteu a resposta para a Linha SNS24.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Guadalupe Simões: Quantidade de atos “não se traduz em acompanhamento com a qualidade e segurança que qualquer pessoa deverá exigir”

Esta sexta-feira, Guadalupe Simões, dirigente do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, criticou a escolha do Governo de pagar pela quantidade de atos. “Quando o Governo diz que dá incentivos ou que dá suplementos financeiros se fizerem mais intervenções cirúrgicas, se tiverem mais doentes nas listas, se operarem mais doentes no âmbito dos programas do SIGIC, se, se, se, está sempre a falar de quantidade de atos, que não se traduz em acompanhamento das pessoas com a qualidade e segurança que qualquer pessoa deverá exigir”, explicou ao HealthNews.

Guadalupe Simões: “Reunião apenas serviu para o Ministério da Saúde promover essa chantagem tentando que nós suspendêssemos a greve”

A reunião entre o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) e o Ministério da Saúde “correu muito mal”. Na quinta-feira, “o Ministério da Saúde procurou chantagear o sindicato dizendo que só negociava se a greve fosse suspensa”, contou ao HealthNews Guadalupe Simões, dirigente do SEP, que, por esse motivo, pelos enfermeiros, pelos doentes e pelo SNS, espera que haja uma forte adesão à greve nacional de 2 de agosto.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights