Obras de requalificação nas Urgências do Hospital de Abrantes vão avançar

21 de Fevereiro 2024

As obras de requalificação nas Urgências do Hospital de Abrantes vão avançar, tendo sido finalmente assinada “a portaria de extensão”, foi esta terça-feira revelado por representantes dos Utentes da Saúde do Médio Tejo.

“Recebemos agora a informação de que terá sido assinada a portaria de extensão, aguardando única e simplesmente que seja publicada em Diário da República para o processo poder seguir, havendo a garantia de, da parte do concorrente que vai executar as obras, da intenção de, no final de março, princípio de abril, avançar com o início das obras”, disse à Lusa Manuel José Soares, porta-voz da Comissão de Utentes (CUSMT), no final de uma reunião com o Conselho de Administração da Unidade Local de Saúde (ULS) Médio Tejo.

Segundo o dirigente da CUSMT, as obras na Urgência do Hospital de Abrantes (Santarém), “prometidas e necessárias há anos e anos”, têm projeto, financiamento, concurso feito e empresa escolhida para fazer a obra, mas apenas faltava a assinatura de um membro do Governo numa portaria de extensão para que se concretizasse a adjudicação e o consequente início das obras”, o que agora se terá concretizado.

Na reunião, a CUSMT abordou com o CA da ULS temas como a promoção da saúde pública e projetos em curso ou programados, a atividade assistencial e cuidados médicos de proximidade nos cuidados de saúde primários, as listas de espera para consultas e cirurgias nos cuidados hospitalares, recursos humanos e contratação de prestadores de serviço, instalações, frota de transporte e as obras na Urgência de Abrantes, entre outros.

“Tínhamos colocado previamente na lista de questões a tratar, entre outras, a questão das instalações e da frota de transporte, sendo que há 17 viaturas em concurso no Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) num processo que não tem tido evolução sendo os veículos precisos para a prestação de cuidados de saúde de proximidade, mais assistência domiciliária e inter-hospitalar”, indicou, tendo referido “avanços” no caso da urgência de Abrantes.

“Já relativamente às obras na urgência de Abrantes, um processo que terá mais de 20 anos, depois de avanços e recuos, que levou inclusivamente a fazer novo concurso no verão passado, recebemos agora a informação de que terá sido assinada a portaria de extensão”, indicou Manuel Soares, em notícia que saudou.

 Segundo o representante dos utentes, este “é mais um passo que se dá”, tendo afirmado esperar que “desta vez a situação conduza mesmo às obras e à sua conclusão, a bem dos utentes e dos profissionais de saúde”.

A requalificação e expansão das Urgências Médico-Cirúrgicas no Hospital de Abrantes iria custar 2,9 milhões de euros (c/IVA), indicou à Lusa o presidente do CA da ULS Médio Tejo, em setembro de 2022, aquando do início das obras de construção das novas instalações das Consultas Externas e do serviço de Gastroenterologia do Hospital de Abrantes, valor que terá subido, entretanto, para 3.6 ME, com os valores atualizados ao dia de hoje.

A ULS Médio Tejo passou a agregar no dia 01 de janeiro de 2024 o Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) e o Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Médio Tejo, assegurando a prestação dos cuidados de saúde nos concelhos de Abrantes, Alcanena, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Sardoal, Tomar, Torres Novas, Vila Nova da Barquinha (todos do distrito de Santarém) e Vila de Rei (distrito de Castelo Branco).

Com população residente na área geográfica de abrangência de cerca 170 mil pessoas (169.274 pessoas), a ULS te 2.780 profissionais e dispõe de três unidades hospitalares (localizadas em Abrantes, Tomar e Torres Novas) e dos serviços de cuidados de saúde primários até aqui assegurados pelo ACES Médio Tejo e pelo Centro de Saúde de Vila de Rei.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

SNE saúda pedido de relatório sobre mudanças implementadas na Saúde

O Sindicato Nacional dos Enfermeiros (SNE) afirmou, esta sexta-feira, que vê com “bons olhos” o despacho, emitido pela ministra da Saúde, que solicita à Direção-Executiva do Serviço Nacional de Saúde (DE-SNS) um relatório do estado atual das mudanças implementadas desde o início da entidade.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights