GECP promove primeira Caminhada no Ritmo da Saúde

19 de Março 2024

O Grupo de Estudos do Cancro do Pulmão (GECP) organiza no dia 7 de abril, a primeira Caminhada no Ritmo da Saúde, na marginal de Vila Nova de Gaia.

O GECP, em parceria com a Associação de Investigação de Cuidados de Suporte em Oncologia, com a Associação Norte de Apoio ao Estudo dos Tumores Torácicos e com o apoio de vários parceiros, irá organizar no primeiro fim-de-sema de abril a 1.ª Caminhada no Ritmo da Saúde, na marginal de Vila Nova de Gaia, num percurso com um total de 5 quilómetros, ida e volta.

A iniciativa, que se insere nas comemorações do Dia Mundial da Atividade Física, tem como objetivo principal sensibilizar para a importância da prevenção, dos programas de rastreio e do diagnóstico precoce do cancro do pulmão, bem como destacar a relevância da adoção de um estilo de vida saudável para toda a população com e sem cancro.

Ana Barroso, pneumologista, coordenadora da Unidade Multidisciplinar de Tumores Torácicos, na Unidade Local de Saúde de Gaia e Espinho e membro da direção do GECP, salienta a importância desta iniciativa, referindo que “é mais do que um simples evento desportivo, sendo uma oportunidade valiosa para sensibilizar a população para a prevenção do cancro do pulmão e para a promoção de estilos de vida saudáveis”.

O evento destina-se a pessoas de todas as idades, desde os 0 aos 100 anos, e convida toda a comunidade a juntar-se numa demonstração de apoio à causa.

As inscrições são gratuitas, porém obrigatórias, e podem ser feitas até ao dia 20 de março no site do GECP.

PR/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Guadalupe Simões: Quantidade de atos “não se traduz em acompanhamento com a qualidade e segurança que qualquer pessoa deverá exigir”

Esta sexta-feira, Guadalupe Simões, dirigente do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, criticou a escolha do Governo de pagar pela quantidade de atos. “Quando o Governo diz que dá incentivos ou que dá suplementos financeiros se fizerem mais intervenções cirúrgicas, se tiverem mais doentes nas listas, se operarem mais doentes no âmbito dos programas do SIGIC, se, se, se, está sempre a falar de quantidade de atos, que não se traduz em acompanhamento das pessoas com a qualidade e segurança que qualquer pessoa deverá exigir”, explicou ao HealthNews.

Guadalupe Simões: “Reunião apenas serviu para o Ministério da Saúde promover essa chantagem tentando que nós suspendêssemos a greve”

A reunião entre o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) e o Ministério da Saúde “correu muito mal”. Na quinta-feira, “o Ministério da Saúde procurou chantagear o sindicato dizendo que só negociava se a greve fosse suspensa”, contou ao HealthNews Guadalupe Simões, dirigente do SEP, que, por esse motivo, pelos enfermeiros, pelos doentes e pelo SNS, espera que haja uma forte adesão à greve nacional de 2 de agosto.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights