Politécnico de Castelo Branco implementa programa de saúde mental e de bem-estar

3 de Abril 2024

O Instituto Politécnico de Castelo Branco (IPCB) garantiu um financiamento de 160 mil euros para a implementação de um programa de saúde mental e de bem-estar dirigido à comunidade académica.

“Os diversos níveis de intervenção e de ações do Projeto ALL IN – INteragir, INtegrar e INcluir possibilitarão, não apenas uma divulgação mais ampla e eficaz de informações relacionadas com a saúde mental, mas também a implementação de medidas de resposta rápida para lidar com as perturbações mentais mais frequentes e recorrentes no Instituto Politécnico de Castelo Branco”, explicou a instituição.

O projeto permite reforçar o serviço de saúde mental e de bem-estar do IPCB com mais recursos humanos, nomeadamente psicólogo, estagiários de psicologia e consultas com médico de clínica geral e familiar, no sentido de atender às necessidades da comunidade académica, bem como apoiar a integração dos estudantes.

O financiamento, no valor de 160 mil euros, surge no âmbito de uma candidatura apresentada ao Programa de Promoção da Saúde Mental no Ensino Superior, da Direção-Geral do Ensino Superior (DGES).

O ALL IN – INteragir, INtegrar e INcluir contempla quatro níveis de intervenção diferentes, sendo as intervenções de nível um dirigidas a toda a comunidade académica do IPCB.

Estas abordam os principais temas e preocupações recorrentes de saúde mental, através da realização de sessões multidisciplinares, dinamizadas pelo Gabinete de Apoio Psicológico (GAP) do IPCB, e também com o apoio de outros serviços de saúde e estruturas de apoio.

A intervenção de nível dois pressupõe a criação do “Café ALL YOU”, um espaço digital de convívio e interação, aberto a toda a comunidade que pretende promover experiências entre estudantes que enfrentam ou superaram problemas de saúde mental.

Com o apoio do GAP e do Gabinete de Apoio ao Estudante com Necessidades Educativas Especiais (GNAEE) do IPCB, esta iniciativa vai também permitir a identificação de casos de perturbações mentais que devam ser encaminhados.

As intervenções de nível três e quatro contemplam a implementação de mecanismos, de respostas rápidas terapêuticas, às perturbações mentais mais comuns, tais como ansiedade e perturbações depressivas, não só através da dinamização de consultas individualizadas, ou em grupo, no GAP do IPCB, como também disponibilizando consultas com profissionais de saúde especializados na área da medicina.

O IPCB pretende ainda estreitar a comunicação com os Serviços de Psiquiatria e de Saúde Mental já existentes, estabelecendo itinerários específicos de referenciação.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Carolina Guedes sobre a LisbonPH: “Somos o paradigma da mudança no setor da Saúde”

A LisbonPH, associação sem fins lucrativos fundada por estudantes empreendedores, organiza esta sexta-feira um evento comemorativo do seu décimo aniversário. Através do desenvolvimento de projetos focados no Profissional de Saúde, a associação tem trabalhado para ser o “paradigma da mudança no setor da saúde”. Em entrevista ao nosso jornal, a Presidente Executiva sublinhou alguns dos principais desafios e revelou as metas para a próxima década.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights