FEPODABES insiste no direito à dispensa ao trabalho no dia da dádiva

11 de Junho 2024

A Federação Portuguesa de Dadores Benévolos de Sangue (FEPODABES) voltou hoje a pedir que os dadores voltem a ter o direito à dispensa laboral no dia que realizam a dádiva e a regulamentação do Estatuto do Dador de Sangue.

Em comunicado, para assinalar o Dia Mundial do Dador de Sangue que se comemora na sexta-feira com o lema “Muito obrigado Dadores de Sangue”, a FEPODABES volta a reivindicar o direito à dispensa ao trabalho no dia em que realizam a dádiva, possibilidade, referem, que lhes foi retirada em 2011 durante a presença da ‘troika’ em Portugal.

O presidente da FEPODABES, Alberto Mota, citado na nota, indica que a Assembleia da República aprovou em 2012 o Estatuto do Dador de Sangue, mas “manteve essa lacuna, deixando por resolver uma das questões que tem impacto direto no número de dadores diariamente”.

Alberto Mota apelou também à “regulamentação do Estatuto do Dador de Sangue, aprovado em 2012, que não avançou.

Na nota, o presidente da FEPODABES alertou mais uma vez “para a falta de profissionais de saúde nomeadamente nos três Centros de Sangue do Instituto Português do Sangue e da Transplantação, falta essa que nos últimos tempos tem sido a causa maior dos cancelamentos de brigadas de colheitas de sangue no exterior dos três centros”.

No âmbito do Dia Mundial do Dador de Sangue, Alberto Mota agradeceu aos dadores, apelando a que mais pessoas doem sangue.

“Todos os dias são necessárias cerca de 1.000 a 1.100 unidade de sangue para fazer face ao consumo dos hospitais, lembrou Alberto Mota, realçando que o sangue é essencial para tratamentos e intervenções urgentes e pode ajudar pacientes que sofrem de condições com risco de vida, além de apoiar procedimentos médicos e cirúrgicos complexos.

“O sangue também é vital para o tratamento de feridos durante emergências de todos os tipos (desastres naturais, acidentes, conflitos armados etc.) e tem um papel essencial nos cuidados maternos e neonatais”, segundo a Federação.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Relatório de saúde STADA 2024: sistemas de saúde na Europa precisam de reformas urgentes

Os sistemas de saúde europeus estão em crise e necessitam de uma reforma urgente, revela o Relatório de Saúde da STADA 2024. Este inquérito representativo, que envolveu cerca de 46.000 entrevistados em 23 países europeus, destaca que os sistemas de saúde não conseguem atender adequadamente às necessidades de muitos europeus, levando-os a assumir a responsabilidade pela sua própria saúde.

A Associação Nacional dos Técnicos de Emergência Médica (ANTEM) denuncia em comunicado a “peocupante” situação do Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), relatando sérios constrangimentos no atendimento dos pedidos de ajuda pelo CODU

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights