Brasil com 863 mortos e mais de 32 mil casos em 24 horas

Brasil com 863 mortos e mais de 32 mil casos em 24 horas

Das 863 mortes, 598 ocorreram nos √ļltimos tr√™s dias, mas apenas foram incorporadas nos dados de hoje, ap√≥s confirma√ß√£o da causa de √≥bito.

Segundo o √ļltimo boletim epidemiol√≥gico da tutela da Sa√ļde, o Brasil totaliza agora 142.921 v√≠timas mortais e 4.777.522 casos de infe√ß√£o desde o in√≠cio da pandemia, que foi registada oficialmente no pa√≠s em 26 de fevereiro.

Por outro lado, um cons√≥rcio formado pela imprensa brasileira, que colabora na recolha de informa√ß√Ķes junto das secretarias de Sa√ļde estaduais, indicou que o pa√≠s somou 849 √≥bitos e 31.990 infetados nas √ļltimas 24 horas.

No total, o consórcio constituído pelos principais media do Brasil revelou que o país contabiliza 4.780.317 casos e 143.010 vítimas mortais, desde o início da pandemia, registada no país em 26 de fevereiro.

No Brasil, país lusófono mais afetado pela pandemia, 4.135.088 pacientes já recuperaram da Covid-19, enquanto que 499.513 infetados estão sob acompanhamento médico.

Geograficamente, os estados que concentram o maior n√ļmero de infe√ß√Ķes s√£o S√£o Paulo (979.519), foco da pandemia no pa√≠s, Bahia (308.252), Minas Gerais (292.291) e Rio de Janeiro (263.699).

J√° as unidades federativas com mais mortes s√£o S√£o Paulo (35.391), seguido pelo Rio de Janeiro (18.388), Cear√° (8.950) e Pernambuco (8.222).

Hoje, foi noticiado que docentes e estudantes da Universidade de Brasília e do Instituto Federal de Brasília (IFB) estão a desenvolver um protótipo de equipamento de ventilação capaz de filtrar moléculas do novo coronavírus que estejam em circulação no ar. O aparelho de baixo custo foi pensado para ambientes hospitalares, onde há uma maior vulnerabilidade de contágio por Covid-19.

A capacidade de descontaminação do ar pelo aparelho foi testada por testes biológicos que comprovaram sua eficiência, segundo o jornal Correio Braziliense.

“O equipamento filtra o ar utilizando basicamente a acelera√ß√£o, proje√ß√£o centr√≠fuga e sedimenta√ß√£o, tratando 40 litros de ar por minuto, com um prot√≥tipo de pequeno porte. Estamos a fazer um modelo mais robusto para o dia a dia, com prote√ß√£o para quest√Ķes de ru√≠do, limpeza, movimenta√ß√£o e tempo de opera√ß√£o”, indicou ao jornal o professor Yuri Cesar Toledo, um dos representantes do IFB no projeto.

“A ideia √© que esse contaminante (novo coronav√≠rus) seja eliminado antes de tocar nas m√°scaras, roupas, cabelos, superf√≠cies e outros meios que possam servir de abrigo para o novo coronav√≠rus”, acrescentou o docente.

A pandemia de Covid-19 j√° provocou mais de um milh√£o de mortos e mais de 33,4 milh√Ķes de casos de infe√ß√£o em todo o mundo, segundo um balan√ßo feito pela ag√™ncia francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

LUSA/HN

Bolsonaro diz que subs√≠dio aos pobres na pandemia ‚Äún√£o pode ser para sempre‚ÄĚ

Bolsonaro diz que subs√≠dio aos pobres na pandemia ‚Äún√£o pode ser para sempre‚ÄĚ

A afirma√ß√£o foi publicada pelo chefe de Estado brasileiro em mensagens na rede social Twitter endere√ßada aos agentes do mercado financeiro, que temem que o Governo brasileiro aumente ainda mais os j√° elevados gastos p√ļblicos durante uma aguda crise fiscal para atender um programa social em discuss√£o a pedido do pr√≥prio Bolsonaro.

O Presidente brasileiro confirmou nas redes sociais que a ‚Äúresponsabilidade fiscal‚ÄĚ √© uma prioridade na sua gest√£o.

As d√ļvidas surgiram no quadro de um profundo debate no Governo em busca de f√≥rmulas para ampliar os gastos p√ļblicos com subs√≠dios sociais, que saltaram exponencialmente desde abril passado para mitigar o impacto econ√≥mico da covid-19.

At√© √† eclos√£o do novo coronav√≠rus, cerca de 40 milh√Ķes de pessoas recebiam cerca de 200 reais (30,26 euros) por m√™s atrav√©s do programa Bolsa Fam√≠lia, criado em 2003 pelo Governo do ex-presidente Lula da Silva.

Com a pandemia, o valor da ajuda aumentou para 600 reais (90,78 euros) e chegou a atingir cerca de 65 milh√Ķes de pessoas, j√° que inclu√≠a benefici√°rios do Bolsa Fam√≠lia e tamb√©m trabalhadores que perderam os seus empregos por causa da covid-19.

Essa maior atenção às classes populares teve um impacto político e a popularidade de Bolsonaro, a favor de uma economia ultraliberal do Estado mínimo, disparou com o seu índice de aprovação atingindo 40%, o maior nível em 21 meses.

Para manter esse apoio, Bolsonaro encarregou sua equipa económica de encontrar uma fórmula para reforçar o Bolsa Família a partir de janeiro, quando terminará a ajuda emergencial aprovada pelo Congresso para a pandemia, já reduzida a metade do valor desde setembro.

Bolsonaro explicou no Twitter que os estudos do Governo para aumentar a ajuda aos pobres pretendem “antecipar os graves problemas sociais que podem surgir em 2021 se nada for feito para atender aquela massa que perdeu tudo, ou quase tudo”.

Tamb√©m fez quest√£o de responsabilizar prefeitos e governadores pela situa√ß√£o social acusando-os de promoveram as medidas de isolamento social na pandemia apesar da oposi√ß√£o do Governo a essas restri√ß√Ķes.

‚ÄúA pol√≠tica de ‘ficar em casa porque a economia vem depois’ acabou e veio o ‘depois’. A imprensa, que tanto apoiava o ‘ficar em casa’, agora n√£o apresenta op√ß√Ķes para atender a esses milh√Ķes de desabrigados‚ÄĚ, escreveu Bolsonaro.

O chefe de Estado apontou que “os respons√°veis pela destrui√ß√£o de milh√Ķes de empregos est√£o agora calados”, embora a maioria das economias do mundo tenham tido preju√≠zos, incluindo pa√≠ses onde as medidas de isolamento social foram mais brandas.

Bolsonaro também rejeitou, conforme alegado por setores da oposição, que a intenção de estender os subsídios sociais a partir de janeiro tenha objetivos políticos e vise escorar sua possível reeleição em 2022.

O Brasil √© o pa√≠s lus√≥fono mais afetado pela pandemia e um dos mais atingidos no mundo, ao contabilizar o segundo n√ļmero de mortos (mais de 4,7 milh√Ķes de casos e 142.058 √≥bitos), depois dos Estados Unidos.

A pandemia de covid-19 j√° provocou mais de um milh√£o de mortos e mais de 33,4 milh√Ķes de casos de infe√ß√£o em todo o mundo, segundo um balan√ßo feito pela ag√™ncia francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

LUSA/HN

Brasil com 13.155 infetados e 317 mortes nas √ļltimas 24 horas

Brasil com 13.155 infetados e 317 mortes nas √ļltimas 24 horas

O país sul-americano totaliza agora 4.745.464 casos de infeção e 142.058 óbitos provocados pelo novo coronavírus.

O executivo brasileiro adiantou que 4.084.182 pessoas já recuperaram da doença e outras 519.224 infetadas permanecem sob acompanhamento.

J√° um cons√≥rcio formado pela imprensa brasileira, que colabora na recolha de informa√ß√Ķes junto das secretarias estaduais de Sa√ļde, anunciou que o pa√≠s verificou 385 √≥bitos e 16.412 infetados nas √ļltimas 24 horas.

No total, o consórcio constituído pelos principais media do Brasil revelou que o país contabiliza 4.748.327 casos e 142.161 vítimas mortais desde o início da pandemia, registada no país em 26 de fevereiro.

Os estados de S√£o Paulo (35.125), Rio de Janeiro (18.291), Cear√° (8.921) e Pernambuco (8.190) t√™m o maior n√ļmero de √≥bitos devido √† pandemia.

Considerando o n√ļmero de casos, S√£o Paulo (973.142), Bahia (306.629), Minas Gerais (290.137) e Rio de Janeiro (262.006) s√£o os que somam mais infe√ß√Ķes.

Na segunda-feira, a Funda√ß√£o Oswaldo Cruz (Fiocruz) divulgou uma nova edi√ß√£o do ‚ÄúBoletim Observat√≥rio Fiocruz Covid-19‚ÄĚ, segundo o qual, entre 07 e 21 de setembro, houve redu√ß√£o de camas livres para receber pacientes com Covid-19 na rede p√ļblica e privada nos estados do Amazonas, Rio Grande do Norte e Rio de Janeiro.

Por outro lado, houve um aumento do n√ļmero de camas livres para receber pacientes em Tocantins, Mato Grosso do Sul e Goi√°s.

A Fiocruz notou ainda que o cenário geral mantém uma melhoria, com exceção no município do Rio de Janeiro, que permanece na zona crítica, com 86% das suas camas de terapia intensiva para doentes em estado grave infetados pela preenchidos.

‚ÄúComo o estado do Rio de Janeiro n√£o disponibiliza no seu painel Covid-19 a taxa de ocupa√ß√£o de leitos de UTI [Unidade de Terapia Intensiva], temos trabalhado com a taxa para a capital‚ÄĚ, frisou a investigadora Margareth Portela, especializada em estudos sobre a utiliza√ß√£o, qualidade e custos de servi√ßos de sa√ļde, citada no boletim da Fiocruz.

‚ÄúAl√©m do munic√≠pio do Rio de Janeiro, outra preocupa√ß√£o √© o estado de Goi√°s, que se tem mantido na zona cr√≠tica h√° semanas. O Distrito Federal permanece com n√≠vel de ocupa√ß√£o de leitos de UTI elevado (75,8%), embora na zona de alerta intermedi√°ria‚ÄĚ, acrescentou Margareth Portela.

O Boletim Observat√≥rio Fiocruz Covid-19 destacou que as taxas de incid√™ncia e de mortalidade do novo coronav√≠rus permanecem em n√≠veis altos no Brasil, mas houve descida no n√ļmero de √≥bitos entre 07 e 21 de setembro em estados do norte do pa√≠s duramente afetados pela pandemia, sobretudo no Amazonas e em Roraima.

Por outro lado, o n√ļmero de mortes aumentou nos estados de Rond√īnia e Par√°, igualmente localizados na regi√£o norte.

De acordo com a an√°lise, estas oscila√ß√Ķes ‚Äúainda apontam uma situa√ß√£o de alerta nesses estados, onde outros surtos podem ocorrer, novamente comprometendo a capacidade de atendimento‚ÄĚ na rede de sa√ļde.

A pandemia de Covid-19 j√° provocou mais de um milh√£o de mortos e mais de 33,1 milh√Ķes de casos de infe√ß√£o em todo o mundo, segundo um balan√ßo feito pela ag√™ncia francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

LUSA/HN

Mais de um milh√£o de mortes por Covid-19 registadas em todo o mundo

Mais de um milh√£o de mortes por Covid-19 registadas em todo o mundo

No total, 1.000.009 mortes foram oficialmente registadas em todo o mundo, para 33.018.877 casos, às 22:30 de domingo.

A AFP refere ainda que 22.640.048 pessoas foram consideradas curadas pelas autoridades.

As regi√Ķes mais afetadas, em termos de n√ļmero de mortes, s√£o Am√©rica Latina e Caribe (341.032 mortes para 9.190.683 casos), Europa (229.945 mortes para 5.273.943 casos) e Estados Unidos e Canad√° (214.031 mortes para 7.258.663 casos).

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Os Estados Unidos s√£o o pa√≠s com mais mortos (204.499) e tamb√©m com mais casos de infe√ß√£o confirmados (mais de sete milh√Ķes).

Seguem-se, em n√ļmero de mortos, o Brasil, √ćndia, M√©xico e Reino Unido.

A R√ļssia, com 20.140 mortos, √© o quarto pa√≠s do mundo em n√ļmero de infetados, depois de EUA, √ćndia e Brasil, com mais de 1,1 milh√Ķes de casos, seguindo-se a Col√īmbia, com mais de 806 mil casos e 25.296 mortos, e o Peru, com mais de 800 mil casos e 32.142 mortos.

Na Europa, o maior n√ļmero de v√≠timas mortais regista-se no Reino Unido (41.988 mortos, mais de 434 mil casos), seguindo-se It√°lia (35.835 mortos, mais de 309 mil casos), Fran√ßa (31.727 mortos, mais de 538 mil casos) e Espanha (31.232 mortos, mais de 716 mil casos).

Em Portugal, morreram 1.953 pessoas dos 73.604 casos de infe√ß√£o confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Dire√ß√£o-Geral da Sa√ļde.

LUSA/HN

Brasil com 863 mortos e mais de 32 mil casos em 24 horas

Brasil contabiliza141.741 mortos e 4,7 milh√Ķes de infe√ß√Ķes desde o in√≠cio da pandemia

A tutela destacou que o maior país da América Latina somou 335 mortes e 14.318 casos do novo coronavírus em 24 horas.

O Governo brasileiro também anunciou que 4.060.088 pessoas já recuperaram da doença e outras 530.480 permanecem em acompanhamento.

Por outro lado, um cons√≥rcio formado pela imprensa brasileira, que colabora na recolha de informa√ß√Ķes junto das secretarias estaduais de Sa√ļde, indicou que o pa√≠s verificou 335 √≥bitos e 13.800 infetados nas √ļltimas 24 horas.

No total, o consórcio constituído pelos principais media do Brasil revelou que o país contabiliza 4.731.915 casos e 141.776 vítimas mortais, desde o início da pandemia, registada no país em 26 de fevereiro.

Os estados de S√£o Paulo (35.108), Rio de Janeiro (18.278), Cear√° (8.919) e Pernambuco (8.174) t√™m o maior n√ļmero de √≥bitos registados na pandemia no Brasil.

Considerando o n√ļmero de casos, S√£o Paulo (972.237), Bahia (306.036), Minas Gerais (288.619) e Rio de Janeiro (261.860) s√£o, respetivamente, os que somam mais infe√ß√Ķes at√© agora.

A pandemia de Covid-19 j√° provocou pelo menos 998.463 mortos e mais de 32,9 milh√Ķes de casos de infe√ß√£o em todo o mundo, segundo um balan√ßo feito pela ag√™ncia francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

LUSA/HN