Superar a pandemia exige “o maior esforço de saúde pública da história”

24 de Abril 2020

Genebra, 24 abr 2020 (Lusa) – A superação da atual pandemia vai exigir “o maior esforço de saúde pública da história", afirmou hoje o secretário-geral da ONU, no lançamento de uma iniciativa global para a produção e o acesso equitativo de vacinas e de tratamentos.

Genebra, 24 abr 2020 (Lusa) – A superação da atual pandemia vai exigir “o maior esforço de saúde pública da história”, afirmou hoje o secretário-geral da ONU, no lançamento de uma iniciativa global para a produção e o acesso equitativo de vacinas e de tratamentos.

“O mundo precisa de desenvolver, de produzir e de garantir uma distribuição equitativa de vacinas, tratamentos e de diagnósticos seguros e eficazes contra a covid-19. Não uma vacina ou tratamentos para um país ou uma região ou para uma metade do mundo, mas sim uma vacina e um tratamento que sejam acessíveis, seguros, eficazes, que possam ser administrados facilmente e disponíveis de forma universal, para todos em qualquer lugar”, declarou António Guterres, durante uma conferência de imprensa transmitida via ‘online’.

Guterres falava no lançamento de uma iniciativa global “histórica” promovida pela ONU que reúne vários países, como França, Alemanha, Espanha e Itália, organizações internacionais, incluindo a Organização Mundial da Saúde (OMS), fundações e empresas do setor privado.

O objetivo da iniciativa é acelerar a produção de vacinas, testes de diagnóstico e de tratamentos contra o novo coronavírus, bem como garantir que exista um acesso internacional e equitativo destes meios.

Nem a China, onde foram detetados os primeiros casos de covid-19 em final de dezembro, nem os Estados Unidos, atualmente o país mais afetado pela pandemia com perto de 50 mil mortes e 900 mil casos de infeção, estiveram representados na conferência.

Uma das principais preocupações desta iniciativa promovida pela ONU está relacionada com os países mais pobres, que não têm os meios financeiros necessários para competir com os Estados mais ricos na corrida para a aquisição de ‘stocks’ de vacinas, medicamentos ou de ‘kits’ de diagnóstico.

A nível global, o novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já provocou cerca de 200 mil mortos e infetou mais de 2,7 milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Mais de 720 mil doentes foram considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a OMS a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu continua a ser o mais afetado pela pandemia.

Lusa/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Exposição “Arte e Vida: Enfrentar a Esclerose Múltipla” de Emanuel Ribeiro abre em Lisboa

O artista Emanuel Ribeiro apresenta três das suas mais impactantes obras – “À Deriva”, “Grito Mudo” e “Libertação” – na exposição “Arte e Vida: Enfrentar a Esclerose Múltipla”. Organizada pela Sociedade Portuguesa de Esclerose Múltipla (SPEM), com o apoio da Merck e do El Corte Inglés (ECI), a exposição visa retratar as complexidades, desafios e triunfos da vida com esclerose múltipla.

Futuros nutricionistas enfrentam “tubarões” no Teatro Thalia

A NOVA Medical School vai trazer para a academia o conhecido modelo de captação de negócio ‘Shark Tank’, dia 28 de junho no Teatro Thalia, em Lisboa, proporcionando uma plataforma para os alunos finalistas da Licenciatura em Ciências da Nutrição se apresentarem ao mercado de trabalho.

Relatório de saúde STADA 2024: sistemas de saúde na Europa precisam de reformas urgentes

Os sistemas de saúde europeus estão em crise e necessitam de uma reforma urgente, revela o Relatório de Saúde da STADA 2024. Este inquérito representativo, que envolveu cerca de 46.000 entrevistados em 23 países europeus, destaca que os sistemas de saúde não conseguem atender adequadamente às necessidades de muitos europeus, levando-os a assumir a responsabilidade pela sua própria saúde.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights