Portugueses no Reino Unido afetados por suspensão de aulas e de projetos científicos

19 de Junho 2020

Muitos estudantes portugueses no Reino Unido regressaram a Portugal durante o confinamento enquanto investigadores tiveram projetos suspensos e foram colocados em ‘lay-off’ devido à pandemia de Covid-19, adiantou a presidente […]

Muitos estudantes portugueses no Reino Unido regressaram a Portugal durante o confinamento enquanto investigadores tiveram projetos suspensos e foram colocados em ‘lay-off’ devido à pandemia de Covid-19, adiantou a presidente da associação PARSUK, Márcia Costa.

“Alguns dos estudantes tiveram as aulas presenciais canceladas e muitos regressaram a Portugal durante este período. Alguns investigadores ficaram com projetos suspensos e em ‘furlough’ [contrato de trabalho suspenso]”, disse à agência Lusa.

O confinamento decretado pelo Governo em 23 de março determinou o encerramento de universidades e laboratórios de investigação associados, o que levou à suspensão das aulas presenciais e do trabalho científico.

A maioria das universidades providenciou aulas e materiais pela Internet, enquanto que muitos investigadores tiveram os contratos suspensos e colocados em ‘lay-off’, no âmbito do regime criado pelo governo que cobre o pagamento de 80% dos salários até 2.500 libras por mês (2.850 euros).

Por outro lado, durante este tempo, muitos portugueses ligados à medicina e investigação científica envolveram-se no tratamento de pacientes infetados com o novo coronavírus e no estudo da doença.

A PARSUK tem vindo a promover o trabalho destes compatriotas e também procurado manter o contacto social com os membros em iniciativas como o visionamento e discussão de filmes.

No sábado realiza a 13.ª edição do Luso, o encontro anual onde normalmente se juntam dezenas de membros para trocar experiências pessoais e profissionais e debater temas relevantes para as suas carreiras.

Devido às regras de distanciamento social e restrições em vigor, o evento será realizado em modo virtual, com um programa reduzido, onde se destacam a intervenção do ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, e do vice-presidente da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), José Paulo Esperança.

Os cinco projetos vencedores de bolsas de investigação para promover a mobilidade entre Portugal e o Reino Unido vão ser anunciados, na sequência do protocolo assinado no ano passado entre a PARSUK e a FCT.

O Luso 2020 será encerrado pelo embaixador de Portugal no Reino Unido, Manuel Lobo Antunes, e por uma atuação do Orfeão Universitário do Porto.

“Apesar de os eventos virtuais terem a grande vantagem de mais pessoas poderem assistir, para os investigadores conferencias presenciais são extremamente importantes, porque facilitam não só o contacto com os oradores, mas também entre os participantes”, referiu a presidente da PARSUK.

Porém, acrescentou Márcia Costa, o Luso é também uma oportunidade para conhecer novos colegas e rever amigos, “por isso, de certa forma, vamos sentir falta desse contacto social”.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

APDI dedica mês de maio à consciencialização para a Doença Inflamatória do Intestino (DII)

A APDI – Associação Portuguesa da Doença Inflamatória do Intestino, colite ulcerosa, doença de Crohn está a dedicar, mais uma vez, o mês de maio à consciencialização para a Doença Inflamatória do Intestino (DII) seguindo as indicações da EFFCA – Federação Europeia das  Associações de Doença de Crohn e Colite Ulcerosa que neste ano de 2024 escolheu como mote “A  DII não tem fronteiras”.

Nuno Jacinto: “A Medicina Geral e Familiar tem um papel central em todos os sistemas de saúde”

O presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF) reforçou a importância da especialidade na promoção da saúde e prevenção da doença. No âmbito do Dia Mundial do Médico de Família, Nuno Jacinto falou ao HealthNews sobre os constragimentos que estes profissionais de saúde enfrentam e dos desafios que os cuidados de saúde primários enfrentam em Portugal.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights