Transportes públicos não estão associados a novos casos em Lisboa

1 de Julho 2020

 A ministra da Saúde afirmou esta quarta-feira que os transportes públicos não estão associados a nenhum dos novos casos de infeção na região de Lisboa e Vale do Tejo (LVT).

“Os transportes públicos não estão associados a nenhum dos novos casos de infeção”, afirmou Marta Temido na comissão parlamentar da Saúde, onde está hoje a ser ouvida.

A questão dos transportes públicos foi levantada pelos partidos da oposição, nomeadamente pelo PSD, que sugeriu que se retirem impostos sobre os táxis e que a empresa municipal EMEL deixe de cobrar estacionamento para facilitar a mobilidade dos cidadãos na área de Lisboa, a mais afetada por novos casos de Covid-19.

O deputado social-democrata Batista Leite mostrou a solidariedade dos sociais-democratas para com a ministra da Saúde, afirmando que “alguns autarcas têm sido desleais para com a senhora ministra” e defendendo que “a critica tem de vir acompanhada de soluções”.

Daí que o deputado tenha proposto algumas soluções “contra um inimigo comum”, nomeadamente “identificar e isolar entradas” no país, testar mais e isolar mais e dar mais força às forças de segurança para que possam manter as pessoas em isolamento.

“A nossa atitude cá dentro tem impactos económicos lá fora”, disse.

De acordo com o deputado social-democrata, “não basta dizer que não é possível manter o distanciamento social nos transportes públicos”, sugerindo que se fechem lugares, se reforcem os autocarros e se utilizem separadores.

“A EMEL tem [de voltar a] deixar de cobrar estacionamento. Temos de garantir distanciamento nos transporte públicos. Porque não se retiram impostos sobre os táxis e as ‘ubers’?”, sugeriu, considerando que desta forma os utentes poderiam utilizar menos meios de transporte como os autocarros.

Marta Temido afirmou que hoje foi assinado um despacho conjunto para exigir um teste negativo às pessoas que entrem em Portugal provenientes de “determinadas origens”.

A ministra destacou a entrada de mais 30 médicos de saúde pública a tempo completo para reforçar as equipas que estão a assegurar os inquéritos epidemiológicos na área de saúde de Lisboa e Vale do Tejo (LVT).

Assegurou ainda que até terça-feira à noite não havia testes epidemiológicos em atraso em Lisboa.

Marta Temido reconheceu que há “uma assimetria para corrigir nos próximos concursos” relativamente aos médicos de saúde pública, que em LVT representam apenas 28% do todo nacional”.

Marta Temido realçou ainda que existe uma obrigatoriedade para que as pessoas respeitem as ordens de confinamento, acompanhada de um quadro sancionatório que permite que a violação da obrigação de confinamento faça os incumpridores incorrer na prática de um crime.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia promove reunião de Verão em Évora

Nos próximos dias 28 e 29 de junho, a Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia (SPDV) realizará a sua Reunião de Verão no Hotel Vila Galé, em Évora. O evento é uma oportunidade para dermatologistas e profissionais da área compartilharem conhecimentos, debaterem os últimos avanços na especialidade e fortalecerem laços profissionais

SIM e Secretaria da Saúde dos Açores avançam em negociações para melhorar condições de trabalho dos médicos

Os Sindicatos Médicos e a Secretaria Regional da Saúde dos Açores (SRSA) estiveram reunidos no passado dia 4 para discutir questões relacionadas com condições de trabalho dos médicos na região. Embora a reunião não tenha resultado na implementação imediata de medidas específicas para a melhoria dessas condições, diversos aspetos do processo negocial foram revistos e acordados, prometendo tornar as futuras negociações mais céleres e eficazes.

Preveris é a nova marca de prevenção em saúde

A Preveris, uma empresa do Grupo CUF, resulta da união de duas marcas de sucesso: SAGIES e Atlanticare. Com uma experiência acumulada de mais de 50 anos e o legado de experiência, rigor e confiança do Grupo CUF, esta união representa a soma desse conhecimento, numa nova marca que se coloca ao serviço da prevenção, da saúde e do bem-estar das empresas portuguesas. Operadora líder de mercado no setor da saúde ocupacional em Portugal, a Preveris é responsável por servir 25 por cento das 100 maiores empresas que atuam no nosso país.  

ENSP NOVA e NTT DATA estabelecem parceria para potenciar a inovação em saúde

A Escola Nacional de Saúde Pública da Universidade NOVA de Lisboa (ENSP NOVA) e a consultora global de negócio e tecnologia NTT DATA fornalizaram esta quarta-feira um protocolo de colaboração que vai permitir impulsionar a formação avançada, o desenvolvimento de investigação e projetos de inovação na área da saúde. O objetivo é promover avanços significativos no setor.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights