Wirelox vai permitir regular nível de O2 à distância no domicilio dos doentes

O projeto Wirelox, apoiado pelo Portugal 2020, tem como objetivo minimizar o risco de infeção pelo novo coronavírus num grupo de risco capaz de desenvolver complicações mais graves, e aumentar a capacidade operacional de resposta a doentes com necessidades de oxigénio no domicílio.

O projeto é fruto de um consórcio entre a Linde Saúde e a CeNTI e retende introduzir a monitorização à distância de medição remota do nível de oxigénio nos reservatórios de oxigénio (homelox). Atualmente, a medição do nível de O2 nos homelox pode ser realizada apenas no local, através de um indicador de LEDs, integrado na estrutura, sendo necessário realizar a troca das homelox antes de atingirem níveis demasiado baixos.

“Este é mais um passo que permitirá reforçar as medidas de segurança durante a pandemia da COVID-19, minimizando o risco de contágio a doentes que integram o grupo de risco, ao otimizar-se a frequência de visitas para enchimento dos homelox ao mesmo tempo que se contribui para o acompanhamento clínico e sucesso terapêutico dos doentes.” esclarece Tiago Esteves, diretor geral da Linde Saúde Iberia, França e Benelux.

O protótipo, que será acoplado ao homelox, permite a monitorização dos LEDs indicadores do nível de oxigénio. Após a medição do estado dos LEDs, a informação será transmitida para uma plataforma digital da Linde, para análise pela equipa de planeamento de rotas.

“Esta informação permitirá otimizar a nossa cadeia de distribuição e expandir a nossa capacidade de resposta a novos doentes em até 20%, devido ao melhor aproveitamento do nosso parque de homelox. Este fator é particularmente relevante num momento em que existe no mercado internacional uma enorme escassez de equipamentos de suporte à terapia com oxigénio” explica Tiago Esteves.

Tiago Esteves reforça ainda que “a Linde Saúde procura garantir durante o período de pandemia da COVID-19 que todas as operações são seguras e os fornecimentos estáveis, criando medidas de precaução extra para assegurar o aumento de produção e a maior complexidade de distribuição. Como fornecedor essencial neste momento crítico, temos de estar fisicamente presentes junto às pessoas que mais necessitam.”

Este projeto é cofinanciado pelo Portugal 2020, no âmbito do Programa Operacional Competitividade e Internacionalização (COMPETE2020), num investimento total de 160.252,53  euros, através do  Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).

PR/João Marques

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Share This