Banco Africano de Desenvolvimento apoia Guiné-Bissau com 12 milhões de dólares

14 de Dezembro 2020

O Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) aprovou um apoio de 12 milhões de dólares (9,8 milhões de euros) para ajudar à retoma económica na Guiné-Bissau no âmbito da Covid-19, informou esta segunda-feira a Presidência guineense.

Segundo um comunicado da Presidência, a informação foi dada ao chefe de Estado, Umaro Sissoco Embaló, no domingo, durante uma audiência ao presidente do BAD, Akinwimi Adesina.

Umaro Sissoco Embaló encontra-se em Abidjan, na Costa do Marfim, para participar na cerimónia de tomada de posse do seu homólogo, Alassan Ouatarra, eleito para um terceiro mandato, que hoje se realiza.

Segundo os dados do Alto Comissariado para a Covid-19, o país registou desde o início da pandemia 2.444 casos positivos.

Na semana entre 30 de novembro e 06 de dezembro, foram registados três novos casos.

O número de vítimas mortais provocadas pela Covid-19 é de 44, enquanto o número de casos considerados recuperados situa-se nos 2.337.

Dados do Banco Mundial indicam que a Guiné-Bissau vai ter mais 60 mil pobres devido à pandemia do novo coronavírus.

Segundo o ministro das Finanças, João Fadia, a Guiné-Bissau vai registar um crescimento económico negativo de -2,9% em 2020 e as receitas internas do Estado caíram cerca de 30%.

A pandemia também teve impacto na campanha de comercialização do caju, principal produto de exportação do país, do qual dependem direta ou indiretamente mais de 80% dos guineenses.

“Akinwimi Adesina garantiu que o BAD aprovou um pacote de ajuda de 172 milhões de dólares [cerca de 141 milhões de euros] em diversas áreas para acompanhar o novo Presidente da Guiné-Bissau nos próximos anos, na implementação do seu plano de desenvolvimento do país”, lê-se na nota.

No encontro, o presidente do BAD, com sede em Abidjan, informou também sobre o programa de Transformação Agrícola e Tecnológica em África, no qual está incluída a produção local de arroz, base alimentar dos guineenses, e do projeto a ser implementado nos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), que conta com o apoio financeiro de Portugal, no valor de 400 milhões de dólares (329 milhões de euros), acrescentou.

A pandemia de Covid-19 provocou pelo menos 1.605.583 mortos resultantes de mais de 71,6 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Exposição “Arte e Vida: Enfrentar a Esclerose Múltipla” de Emanuel Ribeiro abre em Lisboa

O artista Emanuel Ribeiro apresenta três das suas mais impactantes obras – “À Deriva”, “Grito Mudo” e “Libertação” – na exposição “Arte e Vida: Enfrentar a Esclerose Múltipla”. Organizada pela Sociedade Portuguesa de Esclerose Múltipla (SPEM), com o apoio da Merck e do El Corte Inglés (ECI), a exposição visa retratar as complexidades, desafios e triunfos da vida com esclerose múltipla.

Futuros nutricionistas enfrentam “tubarões” no Teatro Thalia

A NOVA Medical School vai trazer para a academia o conhecido modelo de captação de negócio ‘Shark Tank’, dia 28 de junho no Teatro Thalia, em Lisboa, proporcionando uma plataforma para os alunos finalistas da Licenciatura em Ciências da Nutrição se apresentarem ao mercado de trabalho.

Relatório de saúde STADA 2024: sistemas de saúde na Europa precisam de reformas urgentes

Os sistemas de saúde europeus estão em crise e necessitam de uma reforma urgente, revela o Relatório de Saúde da STADA 2024. Este inquérito representativo, que envolveu cerca de 46.000 entrevistados em 23 países europeus, destaca que os sistemas de saúde não conseguem atender adequadamente às necessidades de muitos europeus, levando-os a assumir a responsabilidade pela sua própria saúde.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights