Centro de vacinação de Marco de Canaveses com capacidade para 600 pessoas/dia

13 de Abril 2021

O centro de vacinação de Covid-19 de Marco de Canaveses, no distrito do Porto, entrou esta terça-feira em funcionamento e tem capacidade para inocular 600 pessoas por dia, anunciou a diretora do Agrupamento de Centros de Saúde Tâmega I Baixo-Tâmega.

Segundo Teresa Moreno, aquele centro de vacinação, que funciona no pavilhão municipal, “reúne todas as condições para funcionar com normalidade, tendo disponível, todos os dias entre as 08:00 e as 20:00, quatro equipas de enfermagem e um médico”.

Falando aos jornalistas após visita às instalações, a diretora do ACeS assinalou a “excelente articulação” com a câmara municipal, o que tornou possível disponibilizar e garantir “ótimas condições”.

“Os nossos centros de saúde não estão dotados de espaço, sobretudo para o recobro. Assim, garantimos condições ótimas para a população e para os profissionais”, acentuou.

Sobre o número de vacinas disponível, Teresa Moreno disse aos jornalistas haver “’stock’ considerável que vai garantir a vacinação do concelho”.

No próximo fim de semana aquele centro vai vacinar cerca de 900 docentes e pessoal não docente, “um procedimento de grande intensidade, cuja logística está toda preparada”, sublinhou a diretora.

Cristina Vieira, presidente da Câmara de Marco de Canaveses, que acompanhou a visita, realçou a colaboração da autarquia, para garantir “uma resposta mais eficaz”.

No concelho de Marco de Canaveses têm estado a funcionar dois centros de vacinação, o primeiro junto à Unidade de Saúde Familiar, que continuará em funcionamento, e um segundo, na Unidade de Bem Viver, que foi agora encerrado.

A autarca avançou, por outro lado, que tem sido articulado com todos os presidentes de junta a “mobilidade da população que não tem transporte para a vacinação no centro da cidade”.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Sindicatos ouvidos na Comissão de Saúde alertam para “condições muito precárias” no SNS

Os sindicatos dos trabalhadores da saúde falam em “condições muito precárias” para doentes e profissionais. O problema no SNS não é só a carreira: chove dentro de gabinetes, há cadeiras rotas e computadores que não dão resposta. “Não houve investimento na tecnologia como deveria ser”, disse Joana Bordalo e Sá, presidente da FNAM, na Comissão de Saúde.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights