13/08/2021 | Covid 19, Mundo, Notícias

Hong Kong perde 87 mil pessoas num ano, maior decréscimo pelo menos desde 1961

A população de Hong Kong caiu 1,2% num ano, perdendo 87 mil pessoas, de acordo com os números divulgados na quinta-feira.

O declínio da população é o maior desde que tais dados foram compilados pela primeira vez em 1961 e chega numa altura de grande tensão política.

Estimativas da população de meados de 2021 colocam a população de Hong Kong em 7.394.700, 87.100 (1,2%) abaixo do mesmo período.

Os dados no final de 2020 tinham mostrado um declínio semelhante de 1,2% da população e os números divulgados na quinta-feira indicam que a queda não foi travada.

Hong Kong tinha visto apenas um ano de declínio, de 0,2%, em 2003, o ano da epidemia da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS) e do primeiro grande movimento pró-democracia na região administrativa especial chinesa.

A cidade está a sofrer um declínio populacional natural com mais 11.800 mortes do que nascimentos.

Contudo, a agência governamental de estatística apontou para outra fonte de declínio: a migração. Os dados mostram uma perda líquida de população através da emigração de 89.200 pessoas num ano.

Isto é quatro vezes superior aos já negativos 20.900 registados em meados de 2020.

Em contrapartida, Hong Kong tinha registado um ganho migratório líquido em 2018 e 2019 de 8.500 e 23.000 habitantes, respetivamente.

A antiga colónia britânica, que registou 212 mortos e 12.026 casos desde o início da pandemia da Covid-19, fechou as fronteiras a não-residentes.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Share This