Governo alemão alerta para “vaga massiva” da variante Ómicron

17 de Dezembro 2021

O ministro da Saúde alemão, Karl Lauterbach, avisou esta sexta-feira que a Alemanha, já afetada por um significativo aumento de casos de Covid-19, tem de se preparar para uma nova “vaga massiva” de novas infeções associadas à variante Ómicron.

“Temos de nos preparar para um desafio que ainda não vivenciamos desta forma. (…) O grau de perigosidade da nova variante continua difícil de avaliar”, declarou o ministro, numa conferência de imprensa em Hannover, capital do estado federado da Baixa Saxónia (centro-norte da Alemanha).

Apesar de admitir que as novas infeções diagnosticadas no país são aparentemente menos graves, e que a evolução da doença parece ser ligeiramente mais suave, o ministro alemão advertiu: “É inevitável que está para vir ainda o período mais difícil”.

A Alemanha foi afetada desde o início do outono por um agravamento da crise pandémica, associada à variante Delta do coronavírus SARS-CoV-2.

O número de novos casos diminuiu ligeiramente desde o regresso de muitas das restrições à vida diária, mas o nível de contaminação continua alto.

Nas últimas 24 horas, segundo dados do Instituto Robert Koch de Vigilância em Saúde Pública (RKI), o número de novos casos ultrapassou os 50 mil.

O número de novas infeções diárias, salientou Lauterbach, não está a diminuir de forma acentuada e rápida, havendo uma grande ocupação de camas nas unidades de cuidados intensivos, situação que se irá agravar devido à nova variante, o que o RKI considera “muito preocupante”.

O instituto defendeu, por isso, que as restrições devem ser mantidas ou mesmo intensificadas.

A taxa de vacinação anti-covid-19 completa na Alemanha, ainda considerada insuficiente, atingiu esta semana o patamar de 70% da população elegível.

A Covid-19 provocou mais de 5,33 milhões de mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse (AFP).

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

Uma nova variante, a Ómicron, classificada como “preocupante” pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral, mas desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta, a 24 de novembro, foram notificadas infeções em pelo menos 77 países de todos os continentes, incluindo Portugal.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Trabalhadores do Hospital de Braga não querem regressar à Parceria Público-Privada

Os trabalhadores do Hospital de Braga não querem regressar à Parceria Público-Privada (PPP), garante Camilo Ferreira, coordenador da Comissão de Trabalhadores, que recordou, em conversa com o HealthNews, a exaustão dos profissionais naquele modelo de gestão e, como Entidade Pública Empresarial (EPE), a melhoria das condições de trabalho e do desempenho.

Menopausa: Uma doença ou um processo natural de envelhecimento?

A menopausa foi o “elefante na sala” que a Médis trouxe hoje ao Tejo Edifício Ageas Tejo. O tema foi abordado numa conversa informal que juntou diversos especialistas. No debate, os participantes frisaram que a menopausa não é uma doença, mas sim um “ciclo de vida”. 

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights