14/02/2022 | Opinião

Namore o seu coração! Hoje é o dia nacional do doente coronário

Luís Baquero
Cirurgião cardiotorácico e Coordenador do Heart Center do Hospital da Cruz Vermelha

O Dia Nacional do Doente Coronário é comemorando a 14 de fevereiro, o dia que o seu coração bate mais forte pela sua cara metade, o dia considerado o mais romântico do ano, o Dia de São Valentim- dia dos namorados.

E para que o seu coração bata de uma forma saudável neste dia, bem como todos os dias do ano, está é uma oportunidade única para alertar as pessoas sobre os problemas que atacam o coração, como o tabagismo ativo e passivo, a má alimentação e a falta de exercício físico. É a oportunidade para falar dos benefícios das novas técnicas cirúrgicas menos agressivas e que permitem uma melhor qualidade de vida quando já existe a doença coronária.

O coração é um órgão com vários componentes, sendo os mais importantes: miocárdio (músculo cardíaco), válvulas, tecido de condução e vasos coronários. Para considerarmos um coração saudável, todos estes componentes terão que funcionar corretamente. Resumindo, é necessário que o miocárdio contraia de forma eficaz, que as válvulas cardíacas abram e fechem sem restrições, que o tecido de condução não apresente bloqueios e que as artérias coronárias não apresentem aterosclerose.

A obstrução total ou parcial das artérias coronárias provocada pela aterosclerose coronária é responsável pela maioria dos enfartes do miocárdio. Aproximadamente 80% de mortes súbitas, em doentes com mais de 35 anos, é devida a doença coronária. Fatores de risco como a historia familiar, ser homem com mais de 35 anos ou mulher em idade da menopausa, a vida sedentária, a obesidade ou sobrepeso, o colesterol elevado, a hipertensão arterial e a diabetes, o tabagismo e o stresse, são fatores de risco conhecidos que incitam o desenvolvimento da doença aterosclerótica. A doença coronária é uma doença cada vez mais frequente, e obriga, nas pessoas com fatores de risco, a fazer um estudo cardíaco regular para prevenir as fatais consequências da doença.

Para manter um coração saudável é essencial o rigoroso controlo da tensão arterial, dos níveis de colesterol e peso corporal. Para pessoas com diabetes, é fundamental o rigoroso controlo metabólico. A prática de exercício físico de forma regular é igualmente um componente importante, recomendando-se 30 minutos de exercício moderado 5 vezes por semana, como caminhada. O consumo de bebidas alcoólicas deve ser limitado a um copo de vinho por dia para as mulheres ou até dois para os homens. É ainda importantíssimo a cessação tabágica, uma vez que o tabagismo é um dos maiores inimigos do coração.

 Todos devemos estar alertas para os sinais que o nosso coração nos mostra que poderá não estar saudável, dos quais se salienta:

– dor no peito ou sensação de peso, aperto ou ardor que se desencadeia com o esforço físico ou stress emocional;

– falta de ar e edema (inchaço) nos membros inferiores;

– palpitações (sensação que o coração bate demasiado rápido, sem que este aumento da frequência cardíaca tenha sido desencadeado por um esforço físico ou sensação que o coração bate de forma descompassada);

– síncope (perda de consciência).

Neste momento, a medicina dispõe de várias intervenções que podem melhorar o funcionamento de um coração que não seja saudável. Temos atualmente
à nossa disposição um vasto leque de medicação essencial para a proteção cardíaca.

E, hoje em dia, a doença coronária pode ser tratada na maioria das ocasiões de forma mini-invasiva, seja por método percutâneos, ou seja, por cateter, seja por cirurgia mini-invasiva com incisões de 5-6 cm na região mamaria esquerda, evitando assim abertura do esterno ou até, de uma forma multidisciplinar, juntado as duas técnicas. Esta técnica denominada “Hibrida” permite juntar os benefícios do tratamento percutâneo e da cirurgia mini-invasiva, conseguindo-se assim um restabelecimento do fluxo coronário completo com mínima agressão cirúrgica e com excelentes resultados.

Contudo, e apesar do sucesso da inovação da medicina cardiovascular, não nos podemos esquecer nunca de que a melhor estratégia é a prevenção. E que um coração só será verdadeiramente saudável se o cuidarmos ao longo da nossa vida.

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Share This