Centros vacinação da Lezíria com novos horários e algumas mudanças de local

21 de Fevereiro 2022

O Agrupamento de Centros de Saúde da Lezíria vai alterar, a partir de 01 de março, os horários e dias de funcionamento dos seus nove centros de vacinação contra a Covid-19, alguns dos quais mudarão de localização.

Numa nota enviada à Lusa, a direção do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) da Lezíria, o qual integra nove concelhos do distrito de Santarém – Almeirim, Alpiarça, Cartaxo, Chamusca, Coruche, Golegã, Rio Maior, Salvaterra de Magos e Santarém –, afirma que as alterações visam adequar a resposta, já que a vacinação, com as várias doses, “é muito significativa” na região abrangida.

Servindo uma população de cerca de 200.000 utentes, o ACES Lezíria fez, até ao momento, 440.000 inoculações, acrescenta.

Assim, a partir de 01 de março, o atendimento para vacinação passará a ser feito às terças e quintas-feiras, das 09:00 às 12:00, nos centros de vacinação de Almeirim e de Rio Maior (que se mantêm a funcionar no mesmo espaço, no primeiro caso no pavilhão da Proteção Civil e, no segundo, no Centro de Saúde), e também no Cartaxo, em Coruche e em Salvaterra de Magos (os quais mudam para os respetivos centros de Saúde, sendo que no caso do Cartaxo funcionará na sede do concelho e na Unidade de Saúde Familiar de Pontével).

O Centro de Vacinação de Santarém vai manter-se na Casa do Campino, passando o atendimento a ser feito às terças e quintas-feiras, das 09:00 às 15:00, e aos sábados, das 09:00 às 12:00.

Em Alpiarça, Chamusca e Golegã, os centros de vacinação funcionarão apenas às quintas-feiras, das 09:00 às 15:00, sendo que o da Chamusca passa para o centro de saúde, com os de Alpiarça e Golegã a manterem-se nos respetivos centros de saúde, onde já funcionavam.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Trabalhadores do Hospital de Braga não querem regressar à Parceria Público-Privada

Os trabalhadores do Hospital de Braga não querem regressar à Parceria Público-Privada (PPP), garante Camilo Ferreira, coordenador da Comissão de Trabalhadores, que recordou, em conversa com o HealthNews, a exaustão dos profissionais naquele modelo de gestão e, como Entidade Pública Empresarial (EPE), a melhoria das condições de trabalho e do desempenho.

Governo quer “articulação virtuosa” entre entidades de saúde

O Governo está a avaliar as atribuições de entidades como a Direção-Executiva do SNS, a DGS e o Infarmed para garantir “uma articulação virtuosa” que consiga diminuir a burocracia e concretizar as políticas de saúde, anunciou hoje a ministra.

Menopausa: Uma doença ou um processo natural de envelhecimento?

A menopausa foi o “elefante na sala” que a Médis trouxe hoje ao Tejo Edifício Ageas Tejo. O tema foi abordado numa conversa informal que juntou diversos especialistas. No debate, os participantes frisaram que a menopausa não é uma doença, mas sim um “ciclo de vida”. 

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights