Doentes alérgicos devem proteger-se das poeiras e manter a terapêutica da sua doença de base

17 de Março 2022

As poeiras provenientes de África podem agravar os sintomas das pessoas com patologias alérgicas, alertou hoje a Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica, que divulgou recomendações para estes doentes.

De acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera, estas poeiras deverão manter-se até ao fim do dia.

Neste contexto, a Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica recomenda aos doentes alérgicos que mantenham uma boa adesão ao tratamento da sua doença alérgica; tomem a sua medicação nas doses e nos horários prescritos pelo seu médico; evitem passar muito tempo no exterior e, sobretudo, não pratiquem exercício físico ao ar livre; mantenham as janelas fechadas, evitando a entrada de poeiras em casa; usem máscara na rua, para proteger o nariz e a boca; aumentem a regularidade da limpeza dos olhos e/ou nariz com soro fisiológico se tiverem desconforto ocular e/ou nasal; e, caso sintam um agravamento muito intenso dos sintomas, falem com o seu médico.

PR/HN/Rita Antunes

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Guadalupe Simões: Quantidade de atos “não se traduz em acompanhamento com a qualidade e segurança que qualquer pessoa deverá exigir”

Esta sexta-feira, Guadalupe Simões, dirigente do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, criticou a escolha do Governo de pagar pela quantidade de atos. “Quando o Governo diz que dá incentivos ou que dá suplementos financeiros se fizerem mais intervenções cirúrgicas, se tiverem mais doentes nas listas, se operarem mais doentes no âmbito dos programas do SIGIC, se, se, se, está sempre a falar de quantidade de atos, que não se traduz em acompanhamento das pessoas com a qualidade e segurança que qualquer pessoa deverá exigir”, explicou ao HealthNews.

Guadalupe Simões: “Reunião apenas serviu para o Ministério da Saúde promover essa chantagem tentando que nós suspendêssemos a greve”

A reunião entre o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) e o Ministério da Saúde “correu muito mal”. Na quinta-feira, “o Ministério da Saúde procurou chantagear o sindicato dizendo que só negociava se a greve fosse suspensa”, contou ao HealthNews Guadalupe Simões, dirigente do SEP, que, por esse motivo, pelos enfermeiros, pelos doentes e pelo SNS, espera que haja uma forte adesão à greve nacional de 2 de agosto.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights