Dinamarca classifica contestação à gestão da pandemia como “extremismo”

29 de Março 2022

A Dinamarca classificou esta terça-feira as ações de contestação à gestão da pandemia de Covid-19 como “extremismo antigovernamental”, de acordo com o relatório anual dos serviços de informação dinamarqueses (PET).

No documento, o PET reconhece que apesar do extremismo em relação à gestão da pandemia “não ser uma força motriz para uma ameaça terrorista” pode contribuir para o seu surgimento.

Michael Hamann, um dos responsáveis do PET, explica que na maioria dos casos em que as autoridades foram criticadas pela gestão da pandemia, a contestação decorreu de forma pacífica.

Hamann referiu que na Dinamarca as críticas se materializaram em “ameaças ou intimidações”, enquanto noutros países existiu “planeamento ou realização de atos violentos reais”.

A doença Covid-19 provocou pelo menos 5.914.829 mortos em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China.

A variante Ómicron, que se dissemina e sofre mutações rapidamente, tornou-se dominante no mundo desde que foi detetada pela primeira vez, em novembro, na África do Sul.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

APDI dedica mês de maio à consciencialização para a Doença Inflamatória do Intestino (DII)

A APDI – Associação Portuguesa da Doença Inflamatória do Intestino, colite ulcerosa, doença de Crohn está a dedicar, mais uma vez, o mês de maio à consciencialização para a Doença Inflamatória do Intestino (DII) seguindo as indicações da EFFCA – Federação Europeia das  Associações de Doença de Crohn e Colite Ulcerosa que neste ano de 2024 escolheu como mote “A  DII não tem fronteiras”.

Nuno Jacinto: “A Medicina Geral e Familiar tem um papel central em todos os sistemas de saúde”

O presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF) reforçou a importância da especialidade na promoção da saúde e prevenção da doença. No âmbito do Dia Mundial do Médico de Família, Nuno Jacinto falou ao HealthNews sobre os constragimentos que estes profissionais de saúde enfrentam e dos desafios que os cuidados de saúde primários enfrentam em Portugal.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights