Governo dos Açores aprova descida dos combustíveis e apoio a empresários jorgenses

13 de Abril 2022

 O Governo açoriano aprovou esta quarta-feira a criação de um apoio para reduzir o preço dos combustíveis e a majoração do programa Apoiar.PT aos empresários de São Jorge devido à crise sismovulcânica, tal como já tinha sido anunciado.

Em conferência de imprensa realizada hoje no Palácio da Conceição, em Ponta Delgada, o subsecretário regional da Presidência, Faria e Castro, anunciou que o Conselho de Governo aprovou a criação de “um apoio financeiro, de natureza extraordinária e temporária, aplicável a consumos em postos de abastecimento de combustíveis”.

O apoio, que prevê um desconto de 11 cêntimos pelo litro de gasolina e de 10 cêntimos no litro de gasóleo (com IVA incluído), vai entrar em vigor na próxima segunda-feira, dia 18, e vai vigorar até 30 de abril.

“Os comerciantes licenciados como postos de abastecimento de combustíveis e as empresas distribuidoras, participam para efeitos da atribuição do apoio através de dedução sobre o preço máximo de venda ao público em vigor na região, incluindo impostos”, afirmou ainda Faria e Castro.

O subsecretário da Presidência reforçou que “todas as questões de ordem técnico-jurídica, relacionada com legislação da União Europeia, estão salvaguardadas” na criação do apoio.

Na sexta-feira, o presidente do Governo Regional (PSD/CDS-PP/PPM) revelou à agência Lusa que os preços da gasolina e do gasóleo nos Açores iriam descer 11 e 10 cêntimos, respetivamente, ainda este mês, devido a um apoio ao consumidor criado pelo executivo.

O executivo açoriano (PSD/CDS-PP/PPM) também decidiu prorrogar o programa Apoiar.PT, criado para compensar as perdas dos empresários devido à covid-19, uma vez que “os efeitos da crise sanitária perduram, agravados pelo aumento dos custos de produção associados à escassez nos mercados internacionais de matérias-primas”.

“Aos estabelecimentos localizados na ilha de São Jorge, é atribuída uma majoração de 10% aos apoios calculados e um acréscimo de 20% sobre os limites máximos indicados”, afirmou ainda Faria e Castro.

A majoração do apoio aos empresários jorgenses visa dar uma “resposta imediata” perante a quebra de atividade das empresas na sequência da crise sismovulcânica.

“O entendimento é que este programa dá uma resposta imediata ao que se vive em São Jorge. Veremos como é que evolui a situação no setor do turismo. Os mercados variam com uma rapidez muito grande e aquilo que temos hoje não é necessariamente que pode acontecer amanhã”, apontou.

No sábado, o presidente do Governo dos Açores garantiu que vai criar “especificidades” no programa Apoiar.PT, de apoio à liquidez das empresas, para agilizar compensações financeiras aos empresários de São Jorge afetados pela crise sismovulcânica.

O Governo Regional autorizou ainda a transferência de 7,3 milhões de euros para o Instituto de Financiamento da Agricultura e Pescas (IFAP).

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Prémio de Investigação Noémia Afonso recebe trabalhos até 31 de julho

O Prémio de Investigação Noémia Afonso, promovido pela Sociedade Portuguesa de Senologia (SPS), anunciou a extensão do prazo de envio dos trabalhos até 31 de julho de 2024. A iniciativa tem como objetivo incentivar a cultura científica e fomentar a investigação clínica na área do cancro da mama.

Guadalupe Simões: Quantidade de atos “não se traduz em acompanhamento com a qualidade e segurança que qualquer pessoa deverá exigir”

Esta sexta-feira, Guadalupe Simões, dirigente do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, criticou a escolha do Governo de pagar pela quantidade de atos. “Quando o Governo diz que dá incentivos ou que dá suplementos financeiros se fizerem mais intervenções cirúrgicas, se tiverem mais doentes nas listas, se operarem mais doentes no âmbito dos programas do SIGIC, se, se, se, está sempre a falar de quantidade de atos, que não se traduz em acompanhamento das pessoas com a qualidade e segurança que qualquer pessoa deverá exigir”, explicou ao HealthNews.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights