29/07/2022 | Consultório

Diastase dos Retos Abdominais

Dr Rui Leitão, cirurgião plástico

Os músculos Retos Abdominais são dois músculos situados longitudinalmente no abdómen, inseridos na grelha costal em cima e nos ossos da bacia em baixo, unidos entre eles por uma fáscia resistente à distensão (Linea Alba). Esta fáscia impede a separação dos dois músculos.

A largura máxima da Linea Alba aceita-se que esteja entre os 2 a 5 cm. Acima desse valor falamos em Diastase do Retos Abdominais.

Clinicamente esta condição manifesta-se por protusão do abdómen parecendo que ainda está grávida como resultado da incapacidade do sistema musculo aponevrótico conter o peso do conteúdo intra-abdominal. Pode ser acompanhada de deformidade da parede abdominal na linha média, má postura, dor lombar ou obstipação.

Nas mulheres é normalmente causada pela gravidez e é centrada ao nível do umbigo. Com efeito durante a gravidez os níveis hormonais como os estrogénios e a relaxina aumentam permitindo aos tecidos distenderem de forma a acomodar o bebé. Assim durante este período a maioria das mulheres apresentam diastase dos retos. Com o parto os níveis hormonais regressam ao normal assim como a elasticidade dos tecidos e o afastamento dos Retos. Em casos de extrema distensão (gravidez gemelar, bebé pesado), gravidezes múltiplas, maternidade após os 35 anos, baixo tónus muscular entre outros pode não haver retorno à posição normal.

Se após 8 semanas do parto ainda persistir um afastamento dos Retos superior a 2 dedos podem ser tomadas medidas de forma a prevenir o agravamento e aumentar as hipóteses de regresso à normalidade. Estas incluem exercícios específicos para fortalecer os Retos abdominais, uso de cinta abdominal, evitar passar da posição de deitado a sentado contraindo abominais, evitar carregar pesos ou realizar contração extrema para defecar.

Não há, no entanto, uma correlação direta entre a severidade da diastase e a protusão abdominal. Desta forma é sobretudo a protusão abdominal que determina a indicação cirúrgica de corrigir a Diastase e esta não deve ser realizada antes de 6 a 12 meses após o parto.

A cirurgia para corrigir a separação dos Retos consiste em suturá-los refazendo uma nova ligação entre eles (plicatura da aponevrose dos Retos Abdominais). Em casos graves ou se acompanhada de hérnias da parede abdominal pode ser necessário reforçar essas suturas com colocação de redes ou próteses biológicas de reforço.

A reparação da Diastase dos Retos quando acompanhada de excesso de pele abdominal é realizada integrada numa abdominoplastia com excisão desse excesso de pele deixando as incisões escondidas na zona da cueca. Se não houver excesso de pele pode-se da mesma forma utilizar uma incisão escondida na mesma zona da anterior, mas mais pequena, sendo neste caso a cirurgia realizada com apoio de meios de imagem (endoscopia).

Em qualquer dos casos a cirurgia pode ser complementada com lipoaspiração abdominal para remover gordura indesejada em excesso e completando o efeito da plicatura na definição da cintura.

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Share This