Médico moçambicano João Schwalbach recebe Honoris Causa pela Universidade do Porto

A Universidade do Porto (UPorto) vai atribuir o grau de Doutoramento Honoris Causa ao médico moçambicano João Schwalbach, pela “melhoria substancial da qualidade do ensino da Medicina e da prática da saúde pública em Moçambique”, foi hoje revelado.

“A melhoria substancial da qualidade do ensino da Medicina e da prática da saúde pública em Moçambique” justificam esta proposta da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP), de acordo com nota publicada pela UPorto que, com esta atribuição, sobe para 102.º o número de doutores Honoris Causa nesta instituição.

Descrito no ‘site’ da UPorto como um “especialista em saúde pública de renome internacional”, João Schwalbach será distinguido no dia 30 de setembro, às 17:00, na aula magna da FMUP.

Nascido em Tete, Moçambique, em 1942, João Fernando Lima Schwalbach licenciou-se em Medicina pela Universidade Eduardo Mondlane (UEM), em Maputo, em 1975.

Obteve equivalência ao grau de licenciatura em Medicina pela FMUP, em 1992.

João Schwalbach “tem desempenhado um papel de relevo nas áreas da Saúde Pública e da Ética Médica no seu país”, lê-se na descrição feita pela UPorto.

O médico esteve à frente da Direção de Saúde da Cidade e da Província de Maputo, do Instituto Nacional de Saúde e do Centro Regional de Desenvolvimento Sanitário de Maputo da Organização Mundial de Saúde e foi diretor da Faculdade de Medicina da Universidade Eduardo Mondlane, além de membro dos Conselhos Académico e Universitário desta instituição.

João Schwalbach também foi presidente da Comissão Nacional de Combate ao HIV/SIDA e Coordenador do Centro Nacional de Coordenação do Programa Nacional de Combate ao HIV/SIDA, em Moçambique, e é o atual presidente da Associação Moçambicana de Saúde Pública (AMOSAPU), do Comité Nacional de Bioética para a Saúde de Moçambique (CNBS), da Mesa da Assembleia Geral da Associação Moçambicana para o Estudo da Dor e da Mesa da Assembleia Geral da Associação dos Médicos Escritores e Artistas de Moçambique (AMEAM).

O médico moçambicano é coordenador do projeto LusoAfro-Bioethics – Fortalecimento dos Comités de Bioética nos Países Africanos de Língua Portuguesa, bem como diretor da Escola Superior de Ciências de Saúde do Instituto Superior de Ciências e Tecnologia de Moçambique (ISCTEM) e membro do Comité Técnico Consultivo da Malária desse país.

“João Schwalbach é um reconhecido precursor da criação de canais de colaboração com instituições moçambicanas e estrangeiras, nomeadamente com a FMUP. Em conjunto com esta última instituição, desempenhou um papel crucial na educação de várias gerações de profissionais de saúde portugueses e moçambicanos, num esforço de desenvolvimento da investigação científica, pioneiro na melhoria da assistência médica em Moçambique”, refere a Universidade.

O diretor da FMUP, Altamiro da Costa Pereira, será o padrinho do doutorando, enquanto ao professor emérito da FMUP, Manuel Sobrinho Simões, caberá proferir o elogio de João Schwalbach.

A Mestre-de-cerimónias será a professora catedrática da FMUP, Fátima Carneiro.

A cerimónia do Doutoramento Honoris Causa está enquadrada no 4.º Simpósio da Rede de Escolas Médicas de Língua Portuguesa (CODEM-LP), uma iniciativa com o tema “Refletir o Presente, Construir o Futuro”, que tem como objetivo celebrar a cooperação entre os países lusófonos.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Share This