APIC elege Rita Calé Theotónio como presidente da direção

18 de Abril 2023

A Associação Portuguesa de Intervenção Cardiovascular (APIC) elegeu a cardiologista Rita Calé Theotónio como presidente da direção para o biénio 2023-2025, foi esta terça-feira anunciado. 

A nova Direção assume o projeto de continuidade da APIC, reforçando a importância das parcerias e colaboração com entidades congéneres, como condição fundamental para fomentar o estudo, investigação e promoção de atividades de âmbito científico, médico, e educacional na área da Cardiologia de Intervenção.

“A estratégia para os próximos dois anos assentará em três pilares fundamentais: Formação, Investigação e Relações nacionais, internacionais e com a tutela. Iremos promover a formação e capacitação dos profissionais de saúde com cursos e formações específicas, que promovam a partilha de conhecimentos e experiências interpares, bem como contribuir para uma maior literacia em saúde cardiovascular através de atividades educativas no seio da População”, garantiu Rita Calé Theotónio, citada na nota de imprensa.

A nova responsável defendeu ainda que a sua direção terá como objetivo “incutir dinamismo ao Registo Nacional de Cardiologia de Intervenção e à Investigação na nossa área de intervenção. Faremos ainda um trabalho de sensibilização da tutela para a importância de disponibilizar os recursos adequados e necessários, de forma a manter a universalidade e equidade no acesso atempado a técnicas de intervenção percutâneas”.

Rita Calé Theotónio é licenciada pela Faculdade de Ciências Médicas da Universidade NOVA de Lisboa e cardiologista com a subespecialidade de intervenção desde 2015. Fez parte da última Direção da APIC como Secretária-geral (2021-2023). Atualmente, é Coordenadora-adjunta da Unidade de Cardiologia de Intervenção do Hospital Garcia de Orta.

A restante Direção é constituída por Pedro Jerónimo de Sousa (Secretário-Geral) e Carlos Galvão Braga (Tesoureiro). A Assembleia-Geral é composta por Rui André Rodrigues (Presidente), Joana Delgado Silva (Vogal) e David Neves (Vogal).

PR/HN/VC

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Investigadores revelam como coelhos domésticos sobrevivem em meio selvagem

Uma equipa internacional, liderada por investigadores do Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos (BIOPOLIS-CIBIO) da Universidade do Porto, demonstrou que os coelhos domésticos sobrevivem no meio selvagem devido à existência de uma componente genética, foi hoje avançado.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights