União das Misericórdias entra para a gestão do hospital de Serpa

6 de Dezembro 2023

A União das Misericórdias Portuguesas (UMP) vai entrar para a gestão do hospital de Serpa, no distrito de Beja, prevendo-se a reabertura do serviço de urgência e da unidade médico-cirúrgica “o mais depressa possível”, foi revelado.

Em declarações à agência Lusa, a provedora da Santa Casa Misericórdia de Serpa (SCME), Isabel Estevens, indicou que a UMP vai integrar a administração do Hospital de S. Paulo, naquela cidade alentejana, ao abrigo de “um acordo de gestão em parceria” entre as duas entidades.

O acordo, referiu a responsável, prevê que “a UMP possa fazer a gestão do hospital, no âmbito do acordo de cooperação com o Estado, que inclui o serviço de urgências, consultas externas, meios complementares de diagnóstico e a abertura da unidade médico-cirúrgica”.

Assinalando que o acordo com o Estado termina “no final de 2024, princípio de 2025”, a provedora recusou desistir da gestão do hospital, alegando estar “a trabalhar com a UMP para a unidade ter uma gestão hospitalar profissionalizada” e dar resposta às necessidades da população.

“Temos estado a tratar de todo o processo de reorganização” do hospital, argumentou.

A responsável escusou-se a apontar as datas, quer para a reabertura do serviço de urgência, quer para a inauguração da unidade médico-cirúrgica, remetendo essa divulgação para a UMP.

Gerido até agora pela Misericórdia de Serpa, o hospital tem o serviço de urgência encerrado desde 30 de setembro passado, o que foi justificado pela SCME, em meados de outubro, com a “grave situação económica” da instituição, que provoca a falta de médicos.

Segundo a provedora da SCME, o atual tesoureiro da União das Misericórdias Portuguesas, José Rabaça, “será a pessoa a presidir ao conselho de administração a criar” para gerir o hospital.

Também em declarações à Lusa, o presidente da UMP, Manuel Lemos, explicou que a União das Misericórdias aceitou ajudar na gestão do hospital de Serpa depois de a SCME ter manifestado dificuldades para gerir a unidade e pedido apoio.

“Gerir uma unidade de saúde não é a mesma coisa que gerir um lar. É algo muitíssimo complexo. As misericórdias gerem muitos hospitais e, portanto, temos na nossa organização gente muito capaz para gerir essas unidades”, afiançou.

De acordo com Manuel Lemos, a UMP vai entrar na gestão do hospital e ficar “uns anos”, para a Misericórdia de Serpa “ir ganhando competências”, até ao dia em que a União sairá e irá apoiar outras instituições.

Sobre as datas para a reabertura da urgência e inauguração da unidade médico-cirúrgica, o presidente da UMP limitou-se a dizer que estão a ser feitas “diligências para começarem a funcionar o mais depressa possível”.

Em relação à unidade médico-cirúrgica, Manuel Lemos salientou que a empreitada está “na fase da montagem dos equipamentos” .

Construída de raiz, esta unidade envolve um investimento de 3,7 milhões de euros e vai substituir o bloco operatório do Hospital de S. Paulo, desativado em 2005.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

FNAM aponta quatro prioridades para reunião com o Governo

A presidente da Federação Nacional dos Médicos (FNAM) identificou hoje os salários, as 35 horas semanais, a integração dos médicos internos na carreira e as progressões como prioridades para o encontro da próxima sexta-feira com o Governo.

ULS de Braga certifica mais 35 profissionais no âmbito do Programa Qualifica AP

A Unidade Local de Saúde de Braga (ULS de Braga) finalizou, esta semana, o processo de certificação de mais 35 profissionais, no âmbito do Programa Qualifica AP, uma iniciativa desenvolvida em parceria com a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), através do Centro Qualifica AP.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights