BE/Açores alerta para falta de ortopedistas no Hospital da Terceira

2 de Abril 2024

O Bloco de Esquerda (BE) nos Açores alertou segunda-feira para a falta de ortopedistas no Hospital da Terceira, que já obrigou à transferência de doentes para Ponta Delgada, tendo questionado o executivo açoriano sobre a situação.

Segundo o Bloco, que enviou segunda-feira um requerimento onde questiona a Secretaria Regional da Saúde sobre o problema, o Serviço de Ortopedia do Hospital do Santo Espírito da Ilha Terceira (HSEIT) tem afetos quatro ortopedistas, mas um deles está neste momento de baixa.

De acordo com “a Ordem dos Médicos, para cobertura total deste serviço, seriam necessários, no mínimo, o dobro dos especialistas”, aponta o BE.

O problema, salientam os bloquistas, “é tão grave e tão evidente que ao fim das duas primeiras semanas de 2024, os ortopedistas do hospital da Terceira já tinham esgotado as 150 horas de trabalho extraordinário que estão obrigados a fazer durante o período de um ano”.

“Estes especialistas recusam preencher a escala de urgência e prevenções por excesso de trabalho e apresentaram escusa de responsabilidades à Ordem dos Médicos. Os mesmos consideram não existir condições adequadas ao exercício da sua atividade, podendo daí resultar um risco acrescido de erro médico”, refere o partido, num comunicado de imprensa.

Por outro lado, “o último concurso para a contratação de ortopedistas para o HSEIT, em agosto do ano passado, ficou deserto pela inexistência de candidatos”, assinala o BE/Açores, insistindo na necessidade de criar “fortes incentivos” à captação e fixação de médicos.

A solução passa pela criação de “incentivos permanentes que abranjam todos os médicos a que se deve juntar a atribuição de um acréscimo de 40% do salário aos médicos que se dediquem exclusivamente ao Serviço Regional de Saúde”, reitera o partido.

No requerimento enviado segunda-feira, o Bloco de Esquerda salienta ainda que o Serviço de Urgência de Ortopedia “não se esgota na avaliação dos doentes no balcão da urgência” e que implica também “operar os doentes com fraturas com indicação cirúrgica e seguir os doentes do foro da traumatologia em internamento e consulta externa”.

“Por isso, a solução não deve passar apenas pela contratação de médicos tarefeiros para o serviço de urgência, mas sim pela contratação de médicos especialistas para os quadros do hospital da Terceira”, acrescenta o BE.

Ainda segundo o BE/Açores, “a falta de ortopedistas está também a agravar significativamente as listas de espera, já de si muito longas, com grave prejuízo para os doentes”.

No requerimento dirigido à Secretaria Regional da Saúde, o Bloco pergunta ao Governo Regional (PSD/CDS-PP/PPM) o que vai fazer o executivo para garantir o normal funcionamento das urgências e a recuperação das listas de espera de ortopedia do Hospital da Terceira.

O Bloco solicita igualmente dados relativos ao custo das transferências de utentes da Terceira para São Miguel e ao custo associado à contratação de empresas prestadores de serviços para tentar preencher as escalas de urgência.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

FNAM aponta quatro prioridades para reunião com o Governo

A presidente da Federação Nacional dos Médicos (FNAM) identificou hoje os salários, as 35 horas semanais, a integração dos médicos internos na carreira e as progressões como prioridades para o encontro da próxima sexta-feira com o Governo.

ULS de Braga certifica mais 35 profissionais no âmbito do Programa Qualifica AP

A Unidade Local de Saúde de Braga (ULS de Braga) finalizou, esta semana, o processo de certificação de mais 35 profissionais, no âmbito do Programa Qualifica AP, uma iniciativa desenvolvida em parceria com a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), através do Centro Qualifica AP.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights