Robot cirúrgico da ULS Santa Maria vai permitir recuperação mais rápida do doente

11 de Junho 2024

A Unidade Local de Saúde de Santa Maria (ULSSM), em Lisboa, anunciou a aquisição do seu primeiro robot cirúrgico, um equipamento que permite reduzir o tempo de internamento e de recuperação do doente após a operação.

A aquisição deste equipamento foi aprovada na quinta-feira pelo conselho de administração, na sequência de um concurso público internacional executado em cerca de 90 dias, adiantou a instituição que integra os hospitais Santa Maria e Pulido Valente e mais de 20 unidades de cuidados primários de saúde.

Em comunicado, a ULSSM salientou que este dispositivo cirúrgico permite diminuir o tempo de internamento e de recuperação do doente, com um regresso mais rápido e com mais qualidade de vida à sua rotina diária, mas também reduzir a taxa de complicações e de infeções e aumentar a precisão do cirurgião, facilitando o acesso a áreas anatómicas de difícil acesso.

O primeiro robô cirúrgico ULS Santa Maria vai reforçar investimento no parque tecnológico da unidade de saúde, refere a administração, que pretende avançar para a aquisição de um segundo dispositivo nesta área e com a criação do serviço de Robótica e Cirurgia Digital, em articulação com a Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa.

Trata-se de uma plataforma modular concebida para uma gama de procedimentos cirúrgicos e que combina instrumentos articulados, visualização 3D e uma opção de gravação de vídeo cirúrgico, com equipas de apoio dedicadas e especializadas na otimização, assistência e formação de programas robóticos.

No relatório de atividades entregue recentemente ao Ministério da Saúde, a anterior Direção Executiva do Serviço Nacional de Saúde (DE-SNS) adiantou que foi desenvolvido um programa de modernização tecnológica, num investimento de 117 milhões de euros inscritos no Plano de Recuperação e Resiliência, que vai beneficiar 29 instituições de saúde públicas.

Na prática, o programa prevê a aquisição de 81 novos equipamentos, para substituição de 75 aparelhos que se encontravam obsoletos: 18 ressonâncias magnéticas, 25 tomografias computorizadas, 13 angiógrafos, oito câmaras gama, 11 aceleradores lineares e seis robots cirúrgicos.

O relatório refere ainda que, em 2022, apenas existia um robot cirúrgico em Portugal, tendo sido instalados mais quatro em 2023, com a DE-SNS a prever para este ano mais oito, seis através do PRR e dois com verbas próprias.

“Sublinha-se que esta era uma prioridade da DE-SNS e que está a ser concretizada num espaço de tempo único de dois anos”, salienta o documento elaborado pela equipa do anterior responsável da direção executiva, o médico Fernando Araújo.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Relatório de saúde STADA 2024: sistemas de saúde na Europa precisam de reformas urgentes

Os sistemas de saúde europeus estão em crise e necessitam de uma reforma urgente, revela o Relatório de Saúde da STADA 2024. Este inquérito representativo, que envolveu cerca de 46.000 entrevistados em 23 países europeus, destaca que os sistemas de saúde não conseguem atender adequadamente às necessidades de muitos europeus, levando-os a assumir a responsabilidade pela sua própria saúde.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights