MĆ©dicos e FCT NOVA desenvolvem ā€œarmaduraā€ de proteĆ§Ć£o para profissionais de saĆŗde

MĆ©dicos e FCT NOVA desenvolvem ā€œarmaduraā€ de proteĆ§Ć£o para profissionais de saĆŗde

Acaba de ser apresentada mais uma soluĆ§Ć£o desenvolvida no seio do movimento #ProjectOpenAir. Trata-se de um equipamento integral de proteĆ§Ć£o de profissionais de saĆŗde, 100% portuguĆŖs, que foi concebido por uma equipa de voluntĆ”rios, em parceria com a Faculdade de CiĆŖncias e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa e com o Latino Group, que se designa por Front Line Medic Protection.
Em comunicado enviado ƀs redaƧƵes, os responsĆ”veis do projeto explicam que este nasceu por iniciativa do mĆ©dico Miguel Onofre Domingues, que, apesar da sua larga experiĆŖncia em cenĆ”rios de guerra, afirmou ā€œnunca me senti tĆ£o desprotegido como agoraā€, por falta de equipamento adequado de proteĆ§Ć£o no meio hospitalar.

Um sentimento relatado por profissionais de saĆŗde em todo o mundo e que contribuiu para numerosas baixas nesta primeira linha de combate, em diversos paĆ­ses.

De acordo com o professor AndrĆ© DionĆ­sio Rocha, da Faculdade de CiĆŖncias e Tecnologia da UNL e um dos mentores do projeto, o fato integral funciona como uma armadura contra o COVID-19 e pode ser reutilizado, com lavagens regulares, tal como estabelece a certificaĆ§Ć£o que lhe foi atribuĆ­da pelo CITEVE, que atesta que este fato suporta 25 lavagens sem perder propriedades.
Para alĆ©m do fato completo de corpo inteiro com proteĆ§Ć£o de pescoƧo, ombros e capucho, o kit Ć© composto por uma touca, Ć³culos de proteĆ§Ć£o, viseira, avental, luvas de cano alto atĆ© ao cotovelo e cobre botas. Este kit pode ser adaptado Ć s necessidades e protocolos estabelecidos em cada unidade hospitalar.

Uma inovaĆ§Ć£o que representa uma vantagem face aos equipamentos descartĆ”veis que se encontram atualmente em uso, por garantir uma reduĆ§Ć£o da produĆ§Ć£o de resĆ­duos e tambĆ©m por reduzir as necessidades de investimento do ServiƧo Nacional de SaĆŗde.

No projeto estĆ£o envolvidas trĆŖs empresas portuguesas, a Latino Group, a Science4you e a Culto da Imagem, que estĆ£o jĆ” preparadas para produzir as diferentes peƧas do kit, de acordo com as normas estabelecidas pela DGS para a prevenĆ§Ć£o e controlo de infeĆ§Ć£o, relativas ao equipamento de proteĆ§Ć£o individual. Um contributo para o qual foi fundamental o envolvimento da COTEC.

Recorde-se que em cerca de um mĆŖs o #ProjectOpenAir contribuiu para o desenvolvimento de um ventilador de cĆ³digo aberto, de baixo custo, e tambĆ©m esteve na origem na criaĆ§Ć£o da plataforma Vent2Life, que pretende recuperar equipamentos mĆ©dicos inoperacionais.