Cascais proíbe venda de álcool em postos de gasolina a partir das 20h

2 de Junho 2020

O presidente da Câmara de Cascais, Carlos Carreiras, determinou na segunda-feira a suspensão da venda de bebidas alcoólicas entre as 20:00 e as 08:00 nos postos de combustível do município, para evitar aglomerados de pessoas.

Num despacho publicado na segunda-feira na sua página na rede social Facebook, o autarca justifica a suspensão com o facto de terem sido identificados em Cascais, distrito de Lisboa, aglomerados de pessoas nos postos de combustível “em desrespeito pelas orientações em vigor de distanciamento social e proibição de ajuntamentos de mais de 10 pessoas”, no âmbito da pandemia da Covid-19.

Carlos Carreiras lembra que na sequência das medidas de contenção e prevenção à Covid-19, e por razões de saúde pública, vários estabelecimentos foram encerrados entre os quais bares e discotecas, locais de convívio social e de venda de bebidas.

“Na ausência de funcionamento dos referidos estabelecimentos, tem-se vindo a verificar a procura e consumo de bebidas alcoólicas junto dos postos de abastecimento de combustível do concelho de Cascais”, é referido no texto.

De acordo com o texto, a venda de bebidas nos postos de abastecimento tem vindo a proporcionar ajuntamentos de pessoas no exterior destes estabelecimentos, algumas vezes superior ao permitido, bem como desacatos provocados pelo consumo de álcool.

Carlos Carreiras lembra que o comportamento das pessoas pode ter consequências graves para a saúde pública na situação de calamidade, onde se exige de todos o distanciamento social.

Por isso, o autarca determinou a suspensão da venda bebidas alcoólicas nos postos de combustíveis entre as 20:00 e as 08:00, pelo período abrangido pela declaração do estado de calamidade.

Determinou também a afixação de um anúncio de não realização de venda de bebidas alcoólicas que seja visível do exterior do estabelecimento.

Segundo o presidente da Câmara de Cascais, os postos de abastecimentos e respetivas empresas exploradores devem ser informados pelo Departamento da Polícia Municipal, que vai reforçar a fiscalização.

“O desrespeito poderá desencadear o encerramento temporário do estabelecimento em causa e demais consequências legais com a cooperação das autoridades publicas competentes”, é ainda referido no despacho.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de Covid-19 já provocou mais de 373 mil mortos e infetou mais de 6,2 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Cerca de 2,6 milhões de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.424 pessoas das 32.700 confirmadas como infetadas, e há 19.552 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Estudo propõe critérios para atualização periódica do pagamento da hemodiálise

O estudo “Preço compreensivo da hemodiálise em Portugal”, do especialista em economia da saúde Eduardo Costa, conclui que a introdução de um modelo dinâmico de preço compreensivo e a eventual revisão do modelo de gestão integrada da doença renal crónica serão instrumentos cruciais para garantir a continuidade da excelência dos cuidados de hemodiálise.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights