Região de Lisboa e Vale do Tejo contabiliza mais 70% dos novos casos desde fim do estado de emergência

5 de Junho 2020

Mais de 70% dos casos de infeção por Covid-19 reportados desde o fim do estado de emergência, em 02 de maio, foram registados em Lisboa e Vale do Tejo, que até àquela data tinha apenas 20% dos infetados do país.

Analisando o boletim da Direção-Geral da Saúde de 03 de maio, com dados até às 24:00 de 02 de maio, quando terminou o estado de emergência, e o boletim desta quinta-feira, a agência Lusa constatou que Lisboa e Vale do Tejo (LVT) tinha 6.047 infetados e 210 mortos em 03 de maio, o que correspondia a 23,9% e 20,13%, respetivamente, dos totais registados em todo o país.

Passado mais de um mês, a região de LVT regista 12.137 infetados (36,13% do país) e 383 mortos (26,32%). Estes dados significam um aumento de 100,71% ao nível de infetados e de 82,38% ao nível de óbitos registados.

Tendo em conta apenas o período entre o fim do estado de emergência e quinta-feira, a região registou 6.090 infeções (73,29% do país) e 173 mortos (41,99%).

No entanto, a região Norte tem uma percentagem mais alta de mortos em igual período (49,51% do total do país, correspondendo a 204). No boletim de 03 de maio este valor era de 57,24% (597 mortos), tendo caído para 55% em 04 de junho (801 mortos).

A percentagem de infetados no Norte em relação ao total do país também tem vindo a descer: era de 59,41% em 03 de maio e de 50,07% em 04 de junho. Tendo em conta apenas o período entre o fim do estado de emergência e quinta-feira, foram registados nesta região 21,64% do total de infeções em Portugal.

Por outro lado, a percentagem de aumento de casos e de mortos no Norte desde o fim do estado de emergência foi de 11,97% e de 34,17%, respetivamente, bem abaixo dos valores registados em Lisboa e Vale do Tejo.

A região Centro apresentava em 03 de maio 13,63% dos casos reportados no país e 20% dos mortos, mas um mês depois estas percentagens já se situam em 11,22% e 16,49% respetivamente. Se a análise for apenas relativa ao período desde o fim do estado de emergência, o Centro tem apenas 3,89% dos casos e 7,52% dos óbitos.

Algarve, Alentejo, Madeira e Açores registam cada um, desde 03 de maio, menos de 1% dos caos reportados no país. Quanto a mortos, a Madeira está a zeros e o Alentejo não registou qualquer óbito desde o fim do estado de emergência. Algarve e Açores registam menos de 1% dos óbitos do país também entre 03 de maio e 04 de junho.

Portugal esteve em estado de emergência entre 19 de março e 02 de maio, seguindo-se o estado de calamidade e o levantamento gradual, de 15 em 15 dias, das medidas de confinamento.

Segundo dados da Direção-Geral da Saúde divulgados na quinta-feira, Portugal registou desde o início da pandemia 1.455 mortos associados à Covid-19 em 33.592 casos confirmados de infeção.

Relativamente ao dia anterior, há mais oito mortos (+0,6%) e mais 331 casos de infeção (+1%).

O número de pessoas hospitalizadas subiu de 428 para 445, das quais 58 se encontram em unidades de cuidados intensivos (mais duas).

O número de doentes recuperados é de 20.323.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

IPG acolhe polo do Centro de Envelhecimento Ativo

O Instituto Politécnico da Guarda (IPG) vai acolher um polo do Centro de Competências de Envelhecimento Ativo, que irá desenvolver atividades para criar melhores condições de vida aos idosos da região.

Quinze ULS terão equipas dedicadas na área da Saúde Mental

Os primeiros Centros de Responsabilidade Integrados dedicados à Saúde Mental vão arrancar em 15 Unidades Locais de Saúde, numa primeira fase em projeto-piloto e durante 10 meses, segundo uma portaria publicada em Diário da República.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights