Comerciantes pedem corte de trânsito em rua de Chaves para aumentar esplanadas

17 de Junho 2020

Os proprietários dos estabelecimentos comerciais de uma rua de Chaves uniram-se num pedido à autarquia local para o encerramento do trânsito automóvel de forma a aumentarem o espaço de esplanada e garantirem a segurança dos clientes.

“Colocámos várias hipóteses no requerimento que efetuámos. Colocámos a hipótese de retirar o estacionamento, mas achamos que, por uma questão de segurança, não faz sentido ter mesas a ocuparem esses lugares e haver trânsito automóvel”, explicou à agência Lusa o representante dos estabelecimentos comerciais da Alameda do Tabolado, em Chaves, no distrito de Vila Real.

A Alameda do Tabolado situa-se no centro da cidade, junto às Termas de Chaves e perto do rio Tâmega e tem também um jardim com o mesmo nome.

Fonte da Câmara de Chaves explicou à Lusa que o pedido dos comerciantes da alameda do Tabolado está em análise pelos serviços técnicos.

Filipe Paiva, proprietário de um café naquela rua, destacou ainda que os 12 estabelecimentos comerciais, como cafés, restaurantes e um hotel, estão unidos no pedido para o corte de trânsito automóvel.

 “Irá permitir ter mais mesas, respeitar o distanciamento social devido à pandemia e transmitir segurança aos clientes”, assinalou.

O empresário lembrou ainda que, com as limitações atuais, o número de mesas permitidas complica a viabilidade económica dos espaços.

Apesar de o pedido surgir devido aos constrangimentos causados pela pandemia de Covid-19, o empresário explicou que esta “pode ser uma boa experiência” para a autarquia perceber no futuro se esta é uma boa solução.

“Em termos de estética, quem está na esplanada só vê carros atualmente, e assim poderá ver o jardim. Em termos de segurança, será mais seguro para os pais levarem os filhos sabendo que não há carros a passarem”, apontou.

A fonte da autarquia referiu também que na análise que está a ser feita ao pedido prendem-se fatores como “a circulação do trânsito automóvel com essa artéria fechada”, as “implicações a nível de estacionamento para os moradores daquela zona” e “a análise do ruído em função do alargamento das esplanadas que pode causar para a zona habitacional”.

A autarquia flaviense disse ainda que a decisão poderá estar pronta ainda esta semana, ou no início da próxima semana.

Em 13 de maio a Câmara de Chaves anunciou um regime excecional para o alargamento ou atribuição pontual, excecional e temporário de esplanadas a cafés e restaurantes, mantendo a isenção das taxas municipais, para que estes garantam a sua viabilidade económica.

A pandemia de Covid-19 já provocou mais de 438 mil mortos e infetou mais de oito milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.522 pessoas das 37.336 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Ordem dos Enfermeiros visita Ilha do Corvo

A Secção Regional da Região Autónoma dos Açores da Ordem dos Enfermeiros (SRRAAOE) realizou “uma importante deslocação” à Ilha do Corvo entre os dias 30 e 31 de março, no âmbito da sua iniciativa “Ordem no Terreno”.

José Cabrita: “A avaliação do benefício/risco é essencial em todos os setores do circuito do medicamento”

“A ideia de fazer este curso online era um desejo antigo, tendo em conta o potencial deste método de ensino para a difusão do conhecimento”, explica o Prof. Doutor José Cabrita, coordenador do primeiro curso em eLearning de Farmacoepidemiologia e professor catedrático da Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa. “A aquisição de conhecimentos, competências e capacidades no âmbito da Farmacoepidemiologia será seguramente uma mais-valia para todos os profissionais que participam no ciclo de vida do medicamento”.

MAIS LIDAS

Share This