Cancelados todos festejos de Carnaval em Torres Vedras

18 de Janeiro 2021

A Câmara de Torres Vedras cancelou todos os festejos de Carnaval devido à pandemia de Covid-19, o que ocorre pela segunda vez em quase um século de tradições, foi esta segunda-feira anunciado em comunicado.

“Face à evolução da pandemia de Covid-19 em todo o território nacional, e em particular no território de Torres Vedras, a organização do Carnaval de Torres Vedras optou pela não realização de quaisquer atividades de Carnaval”, é referido num comunicado deste município do distrito de Lisboa hoje divulgado.

Em outubro, a autarquia tinha anunciado que “a Máscara” seria o tema da edição de 2021 e, apesar de afastar a hipótese de haver os habituais corsos, chegou a ponderar realizar alguns eventos como a inauguração do monumento alusivo ao Carnaval, a chegada dos Reis do Carnaval e a inauguração do museu alusivo ao Entrudo, em 12 de fevereiro, e o enterro do Entrudo, em 17 de fevereiro, com limitação de participantes.

Para tal, pediu parecer à Direção-Geral de Saúde, o qual foi obtido na sexta-feira e dá conta que “eventos de qualquer índole, em contexto de pandemia, podem acarretar riscos acrescidos para a saúde pública”.

Na nota de imprensa, a autarquia admite que “a proximidade e espontaneidade do carnaval de rua seriam impossíveis sem graves repercussões para a saúde pública”.

Para assinalar a ausência do Carnaval e homenagear todos os profissionais que trabalham na linha da frente na prevenção e combate à pandemia, o município vai inaugurar, em 12 de fevereiro, o monumento intitulado “a máscara” na Praça da República, no centro da cidade, onde ficará exposto durante um mês.

Em 1984, o Carnaval de Torres Vedras também não se realizou devido às cheias ocorridas meses antes na cidade.

O Carnaval de Torres Vedras, que em 2019 teve um orçamento de 800 mil euros, recebe cerca de meio milhão de visitantes durante os seis dias do evento e gera receitas de 10 milhões de euros na economia local.

A não realização do Carnaval de Torres Vedras 2021 surge no mesmo ano em que foi iniciada a consulta pública da sua candidatura a Património Nacional Imaterial, devendo a decisão sobre a inscrição ser tomada até junho pela Direção-Geral do Património Cultural.

São características dos festejos a chegada e entronização dos reis, o julgamento e enterro do Carnaval e as matrafonas (homens com roupas e acessórios habitualmente usados por mulheres).

O Carnaval de Torres Vedras insere-se nas tradições do Entrudo português, cujas raízes remontam às festas pagãs relacionadas com as festas de inverno e os cultos de fertilidade e da abundância no início da primavera, incluídos pelo Cristianismo no calendário litúrgico.

Considerada uma festividade urbana, o Carnaval de Torres Vedras remonta a 1930, quando a elite local republicana e um grupo social comercial/industrial emergente começou a organizar o primeiro corso, com carros alegóricos, batalhas de flores e inspiração nos modelos carnavalescos franceses e italianos.

Contudo, dadas as características também rurais do concelho, apresenta em simultâneo algumas reminiscências do Entrudo rural, como o enterro do Entrudo na Quarta-feira de Cinzas, o cortejo fúnebre e o julgamento, condenação e queima do rei.

Desde o início da pandemia, Torres Vedras contabiliza 3.346 casos confirmados de Covid-19, dos quais 1.012 estão ativos, 2.284 recuperaram e 50 morreram, segundo o último boletim epidemiológico do município.

A pandemia de Covid-19 provocou, pelo menos, 2.031.048 mortos resultantes de mais de 94,9 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 9.028 pessoas dos 556.503 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Centro de Saúde de Óbidos reabre na sexta-feira

O Centro de Saúde de Óbidos vai reabrir na sexta-feira, após uma requalificação de mais de meio milhão de euros financiados Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), informou a Unidade Local de Saúde (ULS) do Oeste.

Papa levado para o hospital para fazer exame médico

O Papa Francisco foi levado hoje a um centro médico ligado do hospital Gemelli, na ilha Tiberina, em Roma, para um exame médico após a audiência geral no Vaticano, disseram fontes do Vaticano à agência de notícias ANSA.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights