Especialistas alertam pandemia aumentou problemas oculares

22 de Janeiro 2021

Alguns destes problemas podem ser irreversíveis de acordo com o relatório “VisãodeFuturo: A Saúde Ocular em Tempos de Coronavírus”. O atraso de consultas, cirurgias e o aumento da exposição aos ecrãs poderão ser os responsáveis.

Um estudo realizado por especialistas de cinco das principais clínicas oftalmológicas de Espanha e Portugal alertam que o vírus da Covid-19 agravou a saúde ocular. De acordo com este grupo de especialistas, durante a pandemia houve uma redução das consultas de rotina para exames aos olhos (para 67% dos profissionais) e o aumento do tempo passado em frente aos ecrãs (para 68% dos profissionais) foi o hábito que mais afetou a saúde ocular. No conjunto, 78% dos especialistas considera que piorou a saúde ocular, em termos gerais, em consequência da pandemia.

O especialista da Clínica Oftalmológica das Antas, no Porto, Manuel Monteiro Pereira, explica que “durante a pandemia, a situação piorou, principalmente por causa do confinamento. O número de horas em frente aos ecrãs aumentou significativamente, agravando doenças como olho seco, astenopia, olhos vermelhos, dores de cabeça e, nos jovens, miopia”.

A maioria dos especialistas (60%) detetou que a miopia é o distúrbio mais afetado pela pandemia em menores. Já era considerada uma epidemia infantil mesmo antes da COVID-19. Mas agora, insistem, a tendência de maior uso dos ecrãs e para permanecer mais tempo em casa, podem fazer com que a sua frequência sofra um aumento ainda maior nos próximos anos.

No caso dos adultos, o olho seco é o distúrbio identificado por 60% dos especialistas como o mais prevalecente devido aos hábitos ligados à pandemia. O uso frequente de máscaras aumenta a secura dos olhos, tal como passar muito tempo em frente aos ecrãs ou trabalhar muito intensamente com o computador, reduzindo a frequência do pestanejar.

Neste sentido Monteiro Pereira aconselha “pausas visuais regulares” e evitar “o reflexo da luz nos ecrãs”. É recomendado ainda trabalhar em ambientes bem iluminados e humedecidos, uma vez que a secura do ambiente (causada pelo aquecimento ou ar condicionado) pode agravar os distúrbios oculares.

No que diz respeito ao atraso das consultas, os especialistas alertam que pode estar em causa a deteção precoce de patologias oculares. De facto, 48% destes consideram que os pacientes com Degeneração Macular Relacionada com a Idade (DMRI) são aqueles cujo prognóstico piorou durante a pandemia, seguidos por aqueles com Retinopatia Diabética (20%) e Glaucoma (12%).

Mais de 80% dos oftalmologistas descobriram que, devido à pandemia, muitas das intervenções às cataratas que estavam previstas foram adiadas, uma situação que põe em causa a qualidade de vida dos doentes que, devido à sua má qualidade visual, apresentam maior risco de acidentes de trânsito, quedas, fraturas e até mesmo de agravamento dos seus problemas neuronais ou psicológicos.

Manuel Monteiro Pereira alerta que atrasar muito esta intervenção pode dificultar a cirurgia em si. “A intervenção atempada nesta patologia é extremamente importante: Quanto mais cedo se fizer o seu tratamento, mais fácil será a execução cirúrgica. A cirurgia é mais rápida em regime ambulatório e a qualidade de vida melhora significativamente”.

O relatório conclui que o medo inerente ao contágio da Covid-19 é um dos principais motivos que afasta os pacientes dos cuidados de saúde ocular. Conscientes do problema, os oftalmologistas sublinham que as clínicas cumprem todas as normas estabelecidas pela DGS.

PR/HN/Vaishaly Camões

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Estudo propõe critérios para atualização periódica do pagamento da hemodiálise

O estudo “Preço compreensivo da hemodiálise em Portugal”, do especialista em economia da saúde Eduardo Costa, conclui que a introdução de um modelo dinâmico de preço compreensivo e a eventual revisão do modelo de gestão integrada da doença renal crónica serão instrumentos cruciais para garantir a continuidade da excelência dos cuidados de hemodiálise.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights