‘Task force’ revela que Portugal ficou com menos 5,4 milhões de vacinas e vai perder cerca de 470 mil da AstraZeneca

27 de Julho 2021

Portugal pode vir a receber cerca de um milhão de vacinas contra a Covid-19 entre esta e as próximas duas semanas, adiantou esta terça-feira o coordenador da ‘task force’ da vacinação, face a um corte de vacinas da AstraZeneca.

“Vamos perder cerca de 470 mil vacinas da AstraZeneca porque já não fazem sentido no nosso plano, mas há um esforço – quer do Infarmed, quer do Ministério da Saúde – para adquirir vacinas em parceiros europeus e esse esforço pode trazer ao nosso plano de vacinação neste momento – na semana que passou e nas próximas duas semanas – cerca de um milhão de vacinas, o que é muito importante para a aceleração do processo de vacinação”, revelou Henrique Gouveia e Melo.

Numa intervenção realizada na reunião no Infarmed, em Lisboa, que, dois meses depois, volta a juntar especialistas, membros do Governo, Presidente da Assembleia da República e Presidente da República para análise da situação epidemiológica da Covid-19 em Portugal, o vice-almirante responsável pela ‘task force’ reconheceu também que foram recebidas nos primeiros três trimestres menos 5,4 milhões de vacinas face às previsões iniciais.

Já em relação ao último trimestre de 2021, Gouveia e Melo disse que a expectativa inicial apontava para a receção de 8,5 milhões de vacinas, mas, afinal, deverão chegar somente 5,2 milhões de vacinas ao país.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Carlos Cortes: Horário base dos médicos passa a ser de 35 horas

“Haverá espaço para o diálogo em matérias sindicais, o ministro da Saúde demonstrou essa vontade” na reunião com o bastonário, Carlos Cortes, que anunciou hoje que o horário base dos médicos vai passar de 40 para 35 horas semanais.

FNAM diz que seis hospitais já enfrentaram fechos de urgência

Os serviços de urgência dos hospitais de Barcelos, Caldas da Rainha, Chaves, Guarda, Santarém e Tomar já enfrentaram encerramentos devido à indisponibilidade dos médicos para fazer horas extraordinárias além das obrigatórias, anunciou hoje a Federação Nacional dos Médicos (FNAM).

O cancro é a principal preocupação dos portugueses

O Stada Health Report 2023 mostra que o cancro é a doença que mais preocupa os portugueses, que aderem mais aos rastreios oncológicos do que a análises clínicas ou rastreios de saúde oral.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights