Ministro brasileiro diz que veio a Portugal por convite académico e minimiza opositores

27 de Outubro 2021

O ministro da Saúde brasileiro, Marcelo Queiroga, afirmou na terça-feira que respondeu a um convite académico português para abordar o combate do Brasil à pandemia de Covid-19 e considerou as manifestações contra a sua presença “parte do processo democrático”.

“As pessoas podem manifestar-se livremente, [mas] criticar a minha vinda a Portugal é absolutamente sem fundamento. Eu já vim aqui a Portugal várias vezes e hoje eu venho como representante do governo federal, como ministro de estado da Saúde” de um país que tem uma “relação que transcende essas manifestações”, considerou, em entrevista à Lusa em Lisboa.

Ontem, dezenas de brasileiros juntaram-se em frente ao hospital de Santa Maria, em Lisboa, para protestar contra a presença do ministro da Saúde do Brasil numa conferência sobre a resposta do Brasil à pandemia de Covid-19.

“Para nós é estarrecedor o ministro ser condecorado numa faculdade de Medicina importante como esta, dentro do hospital de Santa Maria”, disse à Lusa a dirigente do Coletivo Andorinho Marisie Damin, uma das cerca de 40 pessoas que esta manhã se manifestaram junto à porta de entrada do hospital lisboeta.

Em entrevista à Lusa, o ministro minimizou a polémica: “Eu vim a convite da universidade de Lisboa para discutir aqui com a comunidade académica científica de maneira aberta transparente” e agora o objetivo é “continuar essa grande colaboração entre Brasil e Portugal”.

Para os manifestantes, o “ministro é um dos responsáveis pelas mais de 600 mil mortes, opôs-se e ainda se opõe hoje ao uso de máscara, que é o princípio básico da proteção [contra a Covid-19]”, acrescentou a dirigente brasileira, salientando que “o ‘ministro da morte’ é indiciado por crime de negligência, no mínimo”.

Pouco depois, de máscara e em entrevista à Lusa, o governante insistiu que tem tomado todas as medidas sanitárias adequadas.

“Temos feito tudo o que é possível para mitigar esta tragédia”, afirmou.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Escutismo e Enfermagem: a semente que deu fruto

Lara Cunha, Enfermeira Especialista em Enfermagem Médico-Cirúrgica, Research Fellow na Unidade de Investigação em Ciências da Saúde: Enfermagem da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra

Prémio de Investigação Noémia Afonso recebe trabalhos até 31 de julho

O Prémio de Investigação Noémia Afonso, promovido pela Sociedade Portuguesa de Senologia (SPS), anunciou a extensão do prazo de envio dos trabalhos até 31 de julho de 2024. A iniciativa tem como objetivo incentivar a cultura científica e fomentar a investigação clínica na área do cancro da mama.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights