Discotecas ameaçam desobedecer ao Governo e reabrir nos Países Baixos

3 de Fevereiro 2022

Espaços de diversão noturna dos Países Baixos anunciaram, na quarta-feira, que pretendem reabrir dentro de nove dias, apesar das restrições do governo e do aumento dos novos casos de Covid-19 no país.

Os Países Baixos suspenderam, na semana passada, algumas das restrições mais duras na Europa, permitindo a reabertura de bares, restaurantes e museus.

Mas estes locais têm de encerrar às 22:00, quando as discotecas abririam as suas portas.

“No sábado, 12 de fevereiro, os espaços de diversão noturna abrirão as suas portas em protesto”, revelou a associação Nachtbelang, que reúne discotecas do país.

Este protesto pretende abrir estes espaços “não apenas por uma noite, mas por todas as noites”, revelou a associação, através da rede social Instagram.

“Estamos fechados há dois anos e é muito duro. Com esta ação, queremos mostrar que podemos reabrir as portas com segurança”, referiu o dono de uma discoteca em declarações à agência de notícias ANP.

Este anúncio ocorre quando as hospitalizações continuam a aumentar no país, que registou na quarta-feira o nível mais alto num mês.

Atualmente, estão internadas 1.493 pessoas, e o número médio de internamentos é superior a 150 por dia desde 02 de janeiro.

O número de doentes com Covid-19 em unidades de cuidados intensivos está a diminuir, mas os dados da saúde pública neerlandesa apontam que esse declínio diminuiu.

A Covid-19 provocou pelo menos 5.686.108 de mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China.

A variante Ómicron, que se dissemina e sofre mutações rapidamente, tornou-se dominante do mundo desde que foi detetada pela primeira vez, em novembro, na África do Sul.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Trabalhadores do Hospital de Braga não querem regressar à Parceria Público-Privada

Os trabalhadores do Hospital de Braga não querem regressar à Parceria Público-Privada (PPP), garante Camilo Ferreira, coordenador da Comissão de Trabalhadores, que recordou, em conversa com o HealthNews, a exaustão dos profissionais naquele modelo de gestão e, como Entidade Pública Empresarial (EPE), a melhoria das condições de trabalho e do desempenho.

Governo quer “articulação virtuosa” entre entidades de saúde

O Governo está a avaliar as atribuições de entidades como a Direção-Executiva do SNS, a DGS e o Infarmed para garantir “uma articulação virtuosa” que consiga diminuir a burocracia e concretizar as políticas de saúde, anunciou hoje a ministra.

Menopausa: Uma doença ou um processo natural de envelhecimento?

A menopausa foi o “elefante na sala” que a Médis trouxe hoje ao Tejo Edifício Ageas Tejo. O tema foi abordado numa conversa informal que juntou diversos especialistas. No debate, os participantes frisaram que a menopausa não é uma doença, mas sim um “ciclo de vida”. 

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights