Sindicato dos Enfermeiros Portugueses chega a acordo com hospitais privados

17 de Fevereiro 2022

O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) anunciou esta quinta-feira que chegou a acordo com a Associação Portuguesa de Hospitalização Privada, no âmbito da revisão parcelar do contrato coletivo de trabalho, mas as 35 horas semanais continuam a ser “uma exigência”.

O SEP adianta em comunicado que chegaram a acordo com a associação que representa os hospitais e clínicas privados nalgumas matérias de negociação, nomeadamente na “estrutura de desenvolvimento profissional (mais 3 níveis de desenvolvimento)” e na “melhoria da tabela salarial”, com aumentos salariais entre os 1,7% e 3,8%.

Segundo o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, foi ainda acordado um aumento de 3,5% no subsídio de refeição.

Além destes aspetos, o SEP salienta ainda “a aceitação” pela Associação Portuguesa de Hospitalização Privada (APHP) das propostas que clarificam a contabilização do tempo de trabalho e a identificação do trabalho suplementar.

“Conseguiu-se, ainda, a alteração do princípio sobre as compensações inerentes ao trabalho dos enfermeiros nos períodos noturno e de fim de semana que não estava a ser aplicado”, refere no comunicado.

Para o sindicato, esta alteração traduz “o reconhecimento da importância dos enfermeiros e da sua função no contexto dos hospitais e clínicas associados da APHP”.

Sublinha ainda que a revisão do contrato, que será assinado hoje, constitui “mais um passo para a melhoraria das condições de trabalho dos enfermeiros”.

Contudo, observa, “continua a ser um objetivo major a consagração da semana de trabalho de 35 horas”.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Português vence concurso internacional IDEASforEARS

Entre as 253 soluções criativas apresentadas a concurso para ajudar pessoas com perda auditiva infantil, vindas de 24 países, foram apurados 14 vencedores, incluindo o jovem português de 10 anos de idade André da Silva Freire. O prémio inclui uma viagem à sede da MED-EL em Innsbruck, Áustria, empresa que organiza o IDEASforEARS.

Maria de Belém: “Saúde da mulher pode fazer crescer a economia global um trilião de dólares por ano”

Licenciada em Direito pela Universidade de Coimbra, Maria de Belém trabalhou em áreas distintas, sempre com foco no serviço público. Em entrevista à VoiceMED, newsletter da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (FMUC), a ex-ministra da Saúde e ex-membro do Conselho Geral da Universidade de Coimbra fala, entre outros temas, sobre a saúde da mulher.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights