Reino Unido vai administrar quarta dose da vacina a grupos de risco

20 de Março 2022

O Reino Unido vai oferecer a partir de segunda-feira uma quarta dose da vacina contra a covid-19 aos maiores de 75 anos residentes em lares e aos grupos vulneráveis, anunciou hoje o Serviço Nacional de Saúde.

O Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido espera que esta medida abranja cerca de cinco milhões de pessoas, avançando que esta semana cerca de 600.000 serão chamados a receber a nova dose de reforço da vacina.

Esta quarta dose destina-se aos adultos com mais de 75 anos residentes em lares de idosos e a pessoas com mais de 12 anos pertencentes a grupos considerados vulneráveis.

O programa de reforço começa numa altura em que os casos positivos de covid-19 continuam a aumentar em todo o país, com cerca de 100.000 casos por dia em todo o Reino Unido.

As autoridades estimam que uma em cada 20 pessoas esteja agora infetada com o vírus SARS-CoV-2, que causa a covid-19.

O ministro da Saúde britânico, Sajid Javid, instou os cidadãos a “serem vacinados assim que forem contactados pelo Serviço Público de Saúde”.

Até agora, apenas as pessoas com sistemas imunológicos debilitados tinham sido consideradas elegíveis para receber a quarta dose da vacina.

A Escócia e o País de Gales já lançaram os seus próprios programas de vacinação nos mesmos termos, mas ainda não se sabe quando começará na Irlanda do Norte, embora se acredite que seja esta primavera.

Os adultos que vão receber a quarta dose serão vacinados com a vacina da Pfizer ou da Moderna, enquanto as crianças entre os 12 e os 18 anos receberão a da Pfizer.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

PCP apresenta medidas para “inverter a degradação” do SNS

O PCP apresentou esta sexta-feira algumas medidas urgentes para “inverter a degradação” do Serviço Nacional de Saúde (SNS), criticando as “políticas de vários governos” de PS, PSD e CDS, que abriram “caminho para a destruição” daquele serviço público.

DE-SNS mantém silêncio perante ultimato da ministra

Após o Jornal Expresso ter noticiado que Ana Paula Martins deu 60 dias à Direção Executiva do SNS (DE-SNS) para entregar um relatório sobre as mudanças em curso, o HealthNews esclareceu junto do Ministério da Saúde algumas dúvidas sobre o despacho emitido esta semana. A Direção Executiva, para já, não faz comentários.

ULS de Braga celebra protocolo com Fundação Infantil Ronald McDonald

A ULS de Braga e a Fundação Infantil Ronald McDonald assinaram ontem um protocolo de colaboração com o objetivo dar início à oferta de Kits de Acolhimento Hospitalar da Fundação Infantil Ronald McDonald aos pais e acompanhantes de crianças internadas nos serviços do Hospital de Braga.

FNAM lança aviso a tutela: “Não queremos jogos de bastidores nem negociatas obscuras”

A Federação Nacional dos Médicos (FNAM) disse esta sexta-feira esperar que, na próxima reunião com o Ministério da Saúde, “haja abertura para celebrar um protocolo negocial”. Em declarações ao HealthNews, Joana Bordalo e Sá deixou um alerta à ministra: ” Não queremos jogos de bastidores na mesa negocial. Não queremos negociatas obscuras.”

SNE saúda pedido de relatório sobre mudanças implementadas na Saúde

O Sindicato Nacional dos Enfermeiros (SNE) afirmou, esta sexta-feira, que vê com “bons olhos” o despacho, emitido pela ministra da Saúde, que solicita à Direção-Executiva do Serviço Nacional de Saúde (DE-SNS) um relatório do estado atual das mudanças implementadas desde o início de atividade da entidade.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights