Um morto e um ferido grave em incêndio em habitação em Rio Tinto, Gondomar

12 de Junho 2022

Uma pessoa morreu e outra ficou gravemente ferida em Rio Tinto, no concelho de Gondomar, na sequência de um incêndio numa habitação que deflagrou num quarto, indicou fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) do Porto.

A ocorrência foi registada na Rua da Venda Nova, em Rio Tinto, às 11:49, e cerca das 14:00 “o fogo estava já extinto”, disse a fonte.

De acordo com o CDOS do Porto, do incêndio, “que começou num quarto”, resultou um morto e um ferido grave.

“Também foram assistidos dois bombeiros”, acrescentou.

A agência Lusa contactou várias fontes, mas não possível até ao momento precisar o sexo e a idade das vítimas.

A origem do incêndio é ainda desconhecida.

Para o local foram mobilizados meios dos Bombeiros Voluntários da Areosa/Rio Tinto, Gondomar e São Pedro da Cova, bem como a Ambulância de Suporte Imediato de Vida (SIV) de Valongo e a Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do Hospital de São João, no Porto.

Somam-se meios do INEM, PSP, Proteção Civil de Gondomar e a UNIP (equipa de psicólogos) do Norte.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Guadalupe Simões: Quantidade de atos “não se traduz em acompanhamento com a qualidade e segurança que qualquer pessoa deverá exigir”

Esta sexta-feira, Guadalupe Simões, dirigente do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, criticou a escolha do Governo de pagar pela quantidade de atos. “Quando o Governo diz que dá incentivos ou que dá suplementos financeiros se fizerem mais intervenções cirúrgicas, se tiverem mais doentes nas listas, se operarem mais doentes no âmbito dos programas do SIGIC, se, se, se, está sempre a falar de quantidade de atos, que não se traduz em acompanhamento das pessoas com a qualidade e segurança que qualquer pessoa deverá exigir”, explicou ao HealthNews.

Guadalupe Simões: “Reunião apenas serviu para o Ministério da Saúde promover essa chantagem tentando que nós suspendêssemos a greve”

A reunião entre o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) e o Ministério da Saúde “correu muito mal”. Na quinta-feira, “o Ministério da Saúde procurou chantagear o sindicato dizendo que só negociava se a greve fosse suspensa”, contou ao HealthNews Guadalupe Simões, dirigente do SEP, que, por esse motivo, pelos enfermeiros, pelos doentes e pelo SNS, espera que haja uma forte adesão à greve nacional de 2 de agosto.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights