Congresso Mundial dos Hospitais: Ronald Lavater diz que falta de profissionais é o maior desafio

26 de Outubro 2023

Em todo o mundo, faltam enfermeiros, técnicos e médicos para providenciar os cuidados necessários. É o desafio número um dos hospitais a nível mundial, de acordo com o Chief Executive Officer da Federação Internacional dos Hospitais.

“Nós vamos onde os nossos membros estão, e temos muita sorte em ter um membro muito forte aqui, em Portugal”, a Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Hospitalar, que se propôs a receber o congresso juntamente com a Associação Portuguesa de Hospitalização Privada e a Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares. Esta união “foi forte o suficiente” para Lisboa – uma “cidade linda” com uma “energia maravilhosa” – ser escolhida para acolher o 46.º Congresso Mundial dos Hospitais, referiu Ronald Lavater, Chief Executive Officer.

“Portugal tem um bom sistema público e um forte sistema privado e a generalidade dos indicadores estão, também, na parte superior da Europa, como algo que pode ser partilhado com a comunidade global. Quando nós procuramos sítios para o nosso congresso, queremos assegurar que os anfitriões, além de terem uma cidade fantástica e todas as estruturas, podem oferecer alguma troca de conhecimento, algumas oportunidades de aprendizagem às pessoas que vêm de todo o mundo”, explicou o representante.

O congresso começou em 1929. Atualmente, a Federação Internacional dos Hospitais (IHF) tem 145 membros, de 65 países, que representam mais de 25 mil hospitais. “Esses líderes vêm ao nosso congresso com a oportunidade de aprender e partilhar ideias, e os nossos colegas portugueses certamente têm muito para oferecer”, disse Ronald Lavater.

Questionado sobre os principais desafios que hospitais e sistemas de saúde enfrentam, Lavater escolheu de imediato um: “Se falar com os líderes hospitalares que estão aqui hoje (…) e lhes perguntar qual é o maior desafio quando voltam para os seus países, eles vão dizer a força de trabalho. Eles vão dizer: não temos enfermeiros, técnicos, médicos qualificados suficientes para providenciar o cuidado que é necessário nas nossas comunidades.”

“Há muitas soluções por aí, não há apenas uma solução que encaixe; mas parte do que a IHF tenta fazer é reunir estes líderes para não só falar do problema, mas também falar de soluções que podem aplicar nos seus países.” O tema do 46.º é precisamente sobre isso: “Global Learning, Local Action”.

HN/RA

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Trabalhadores do Hospital de Braga não querem regressar à Parceria Público-Privada

Os trabalhadores do Hospital de Braga não querem regressar à Parceria Público-Privada (PPP), garante Camilo Ferreira, coordenador da Comissão de Trabalhadores, que recordou, em conversa com o HealthNews, a exaustão dos profissionais naquele modelo de gestão e, como Entidade Pública Empresarial (EPE), a melhoria das condições de trabalho e do desempenho.

Governo quer “articulação virtuosa” entre entidades de saúde

O Governo está a avaliar as atribuições de entidades como a Direção-Executiva do SNS, a DGS e o Infarmed para garantir “uma articulação virtuosa” que consiga diminuir a burocracia e concretizar as políticas de saúde, anunciou hoje a ministra.

Menopausa: Uma doença ou um processo natural de envelhecimento?

A menopausa foi o “elefante na sala” que a Médis trouxe hoje ao Tejo Edifício Ageas Tejo. O tema foi abordado numa conversa informal que juntou diversos especialistas. No debate, os participantes frisaram que a menopausa não é uma doença, mas sim um “ciclo de vida”. 

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights