Máscaras voltam a ser obrigatórias em centros de saúde e hospitais em Espanha

10 de Janeiro 2024

As máscaras voltaram a ser obrigatórias hoje em Espanha, nos centros de saúde e nos hospitais, por causa da gripe e da covid-19, que estão também a causar congestionamento nos serviços de saúde.

A medida já estava em vigor em seis das 17 comunidades autónomas de Espanha, um país totalmente descentralizado em que a saúde é tutelada pelos governos regionais, mas foi hoje alargada a todo o país por decisão do executivo central, através de um mecanismo previsto na lei que já tinha sido usado durante a pandemia de covid-19.

As máscaras passaram também a ser recomendadas, desde hoje, noutros espaços, como as farmácias, segundo revelou o Ministério da Saúde.

A ministra Monica García disse hoje, numa conferência de imprensa, que a situação epidemiológica das “infeções respiratórias agudas” em Espanha, que incluem a gripe e a covid-19, está dentro dos valores do período pré-pandemia, mas num nível considerado alto.

Nas últimas semanas, em especial a gripe, registou uma “subida aguda”, provocando “tensão” na resposta de hospitais e centros de saúde, justificou.

Nos últimos dias, têm sido notícia em Espanha as longas horas de espera nos serviços de saúde por causa da gripe e pelo menos dois hospitais da Catalunha suspenderam as cirurgias não urgentes para canalizar os recursos para o atendimento urgente dos casos de infeções respiratórias.

Os governos regionais poderão decidir passar a obrigatoriedade de máscara para uma recomendação se durante duas semanas consecutivas houver uma diminuição nos casos de gripe e covid-19, segundo o Ministério da Saúde.

A ministra não explicou, porém, durante quanto tempo se manterá em vigor a obrigatoriedade de máscara nas unidades de saúde por decisão do Governo central.

As máscaras nas unidades de saúde já eram, desde há dias, obrigatórias na Catalunha, Comunidade Valenciana, Aragão, Múrcia, Ilhas Canárias e Astúrias.

As Canárias decidiram hoje que as máscaras passam também a ser obrigatórias nas residências de idosos para os visitantes e trabalhadores, durante um período temporário, “enquanto durar o pico epidémico de infeções por gripe e coronavírus [covid-19]”.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Trabalhadores do Hospital de Braga não querem regressar à Parceria Público-Privada

Os trabalhadores do Hospital de Braga não querem regressar à Parceria Público-Privada (PPP), garante Camilo Ferreira, coordenador da Comissão de Trabalhadores, que recordou, em conversa com o HealthNews, a exaustão dos profissionais naquele modelo de gestão e, como Entidade Pública Empresarial (EPE), a melhoria das condições de trabalho e do desempenho.

Menopausa: Uma doença ou um processo natural de envelhecimento?

A menopausa foi o “elefante na sala” que a Médis trouxe hoje ao Tejo Edifício Ageas Tejo. O tema foi abordado numa conversa informal que juntou diversos especialistas. No debate, os participantes frisaram que a menopausa não é uma doença, mas sim um “ciclo de vida”. 

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights