por Filipe Charters de Azevedo Especialista em modelos de risco

Para que serve a Europa na saúde?

05/12/2024

No espaço europeu tendemos a ver-nos como consumidores de fundos europeus, ao invés de cidadãos. Optamos por liberdades ou benefícios materiais e não por responsabilidades comuns. Está na altura de perguntarmos: o que queremos para a Europa? E, neste caso concreto, o que queremos em termos de saúde?

Podemos sempre melhorar a integração das redes nacionais, promover cuidados transfronteiriços, e tantos outros detalhes. Estas soluções são oportunistas, resolvem os casos graves individuais, as falências pontuais dos sistemas de saúde ou da população junto à fronteira. Mas não são Políticas – com “P” grande. Isto é, não resolvem os problemas dos cidadãos de uma forma próxima e concreta, não traduzem ideologias, prioridades ou formas de ver o mundo. Para estas eleições europeias, no que à saúde diz respeito, o que é estratégico? O que falta fazer no espaço europeu?

Creio que o principal foco deve ser a resposta às pandemias e às pressões de saúde que estão fora do espaço europeu. Pode parecer estranho, mas as prioridades de política de saúde comunitária resolvem-se fora da Europa.

Não é possivel gerir uma pandemia num país, ou mesmo num continente. Só este século já vivemos SARS (2003), gripe das aves (2008), ébola (2013), Zika (2018) e Covid. E quase sempre gerimos isto aos “papeis”, de forma reactiva ou sem grande cuidado, mas sempre com muita força. E a razão é simples para esta falta de foco, aliás de Política. E não é a falta de vontade. É a de saber quem paga as pandemias e o seu combate.

A história não é nova, já no caso da varíola a questão foi a mesma – quem deveria pagar a vacinação fora de portas? Apesar da enorme cooperação e esforço e do maravilhoso resultado civilizacional e humano, todos os países tinham o incentivo para “andar a boleia” e esperar pela ação da Organização Mundial de Saúde e das grandes potências. Para se ter uma ideia dos números, a campanha de erradicação custou à época, entre1967 e 1979, 23 milhões, contra um custo económico de 1,3 mil milhões… ao ano. Porém, o último paciente da varíola foi vacinado porque a Suécia resolveu financiar a vacinação dos últimos indivíduos da Somália. E pagou sozinha e sem jogos de bastidores os últimos desprotegidos.

Mas o problema é mais largo que a vacinação. Como gerir as pressões de saúde fora das fronteiras? Portugal, em particular, tem pressão de imigração de saúde sobretudo associado à maternidade. Este facto ajuda a explicar os recentes picos de mortalidade materna (não explica a totalidade), mas ajuda.

O que gostava de ver discutido não eram proclamações, sobretudo de atores políticos que demonstram as suas habilidades linguísticas. O que gostava de ver ou de saber nesta campanha é: como podemos financiar ou desenvolver um sistema de saúde fora do Espaço europeu, junto dos refugiados, dos países em desenvolvimento, dos que precisam, e de como podemos evitar ou gerir pandemias? Qual o papel da Europa na Saúde Pública?

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

OMS lança iniciativa SPECS 2030

A Organização Mundial de Saúde (OMS) acaba de lançar a iniciativa SPECS 2030, inserida na Global SPECS Network que tem como principal objetivo unir uma rede global de participantes para atingir a meta global do erro refrativo para 2030, que consiste no aumento de 40% na cobertura efetiva desta patologia.

Os enfermeiros (também) são cientistas

Lara Cunha: Enfermeira Especialista em Enfermagem Médico-cirúrgica; Research Fellow na Unidade de Investigação em Ciências da Saúde: Enfermagem da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra

49% das deslocações forçadas no mundo ocorrem em África

Conflitos, alterações climáticas, pobreza extrema e insegurança alimentar fazem disparar deslocações forçadas no continente africano e irão obrigar mais de 65 milhões de pessoas a fugir das suas casas até ao final de 2024. Subfinanciamento surge como principal ameaça à ajuda humanitária.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights