Mercado farmacêutico cai em dezembro, mas mantém crescimento em 2020

Mercado farmacêutico cai em dezembro, mas mantém crescimento em 2020

Os dados s√£o da Health Market Research que destaca para o m√™s de dezembro uma din√Ęmica negativa ao n√≠vel do Pharma Market face ao m√™s hom√≥logo tanto em valor como em volume (respetivamente 4,2% e -9,8%).

J√° o segmento Consumer Healthcare apresenta um decr√©scimo em Sell-Out face a dezembro de 2019, -12,1% em valor e -18,7% em volume. As maiores varia√ß√Ķes absolutas, em unidades, verificam-se ao n√≠vel das classes HMR3 Expectorantes, Antigripais e Inflama√ß√£o Garganta, impactando negativamente este segmento.

Apesar da queda acentuada no Sell Out do segmento Consumer Healthcare face ao período homólogo, quando comparado com o mês precedente apresenta um ligeiro aumento de 1,5% em sell out em valores no mês de Dezembro face a Novembro20.

O segmento Pharmaceutical apresenta igualmente perdas face ao m√™s hom√≥logo tanto em valor como em volume, -4,2% e ‚Äď9,8% respetivamente.

Ao nível do Pharma Market constata-se uma redução de 4,5% no Sell Out em unidades do subsegmento de Prescription Medicines face a igual mês do ano passado. No subsegmento de Non Prescription Medicines assinala-se um decréscimo acentuado em valor (-25,1%) e em volume (-31,2%) face ao Dezembro homólogo.

Ao nível do Prescription Medicines, o subsegmento de Branded apresenta um decréscimo de 7,1% em volume, e de Р1,6% em valor face ao mês homólogo.

PR/HN/Jo√£o Marques

Vendas de medicamentos para patologias crónicas sobem contracorrente no mercado farmacêutico

Vendas de medicamentos para patologias crónicas sobem contracorrente no mercado farmacêutico

No primeiro mês de verão em convivência com a pandemia do novo coronavírus, os portugueses compram menos medicamentos, mas mais caros. A Health Market Research divulgou a sua análise ao mercado farmacêutico para o mês de junho, onde se destaca o crescimento +1,2% nas vendas de medicamentos para patologias crónicas num mercado que caiu -3,2% em volume de vendas face ao mesmo mês do ano passado.

Ainda assim, e apesar da quebra de -3,2% em volume, no que toca a valores monet√°rios, os portugueses gastaram este ano mais +0,03%.

Dentro do mercado farmac√™utico o segmento mais afetado parece ser o Pharmeceutical, que engloba os medicamentos de compra livre ou com receita. Este segmento registou um recuo de -3,7% face ao per√≠odo hom√≥logo. Ao todo venderam-se menos 750 mil unidades, mas angariaram-se mais 1,2 milh√Ķes de euros (+0,5%). Para este ganho em valor apesar da perda em unidades vendidas contribui o j√° enunciado aumento de vendas de medicamentos para patologias cr√≥nicas.

Noutro segmento, o mercado de Consumer Healthcare reduziu -5,2% face ao ano passado, uma tendência que o relatório atribui sobretudo à quebra das vendas de produtos sazonais do subsegmento Personal Care, em que se incluem protetores solares e produtos de emagrecimento. Esta queda é apenas em termo homólogos, já que em relação a maio as vendas de Personal Care continuam a crescer, como seria de esperar.

Em termos gerais, apesar do decréscimo do volume de vendas do mês de junho, 2020 continua a ser um ano de crescimento para o mercado farmacêutico tanto em termos de volume (+3,1%), como em termos de valor (+5,5%).

Jo√£o Daniel Ruas Marques/HN