Polícias agredidos quando dispersavam festa ilegal em Londres

26 de Junho 2020

Agentes da polícia foram agredidos na noite de quinta-feira em Londres quando tentavam dispersar uma festa ilegal na zona de Notting Hill, informaram esta sexta-feira as autoridades britânicas avançando que […]

Agentes da polícia foram agredidos na noite de quinta-feira em Londres quando tentavam dispersar uma festa ilegal na zona de Notting Hill, informaram esta sexta-feira as autoridades britânicas avançando que não há feridos a lamentar.

Este tipo de eventos não estão autorizados no Reino Unido porque podem propagar o contágio do novo coronavírus, apesar de as autoridades terem começado a suavizar as restrições que foram impostas no passado mês de março.

Os participantes na festa de Notting Hill atiraram objetos contra os agentes sendo que era já a segunda noite consecutiva marcada por incidentes do género na região de Londres.

Na quarta-feira no bairro de Brixton, 22 agentes ficaram feridos em confrontos numa festa ilegal.

A Polícia Metropolitana de Londres (Met) indicou que em Notting Hill, quinta-feira à noite, decorreu um “evento musical sem licença” acrescentando que apesar dos ataques não se registaram feridos.

“A violência não vai ser tolerada e as unidades (policiais) estão a responder de forma apropriada”, disseram as forças da ordem da área de Kensington e Chelsea, onde se situa Notting Hill.

A polícia reforçou as medidas de vigilância na capital para fazer face a incidentes graves, numa altura em que o “desconfinamento” começou a ser implementado e numa altura em que bom tempo em Londres se faz sentir com temperaturas superiores aos 30 graus.

O comandante Bas Javis, da Polícia Metropolitana indicou que a intervenção policial na zona ocidental de Londres foi uma “resposta direta contra as inquietações manifestadas pela comunidade que se mostrou assustada com o que estava a acontecer”.

Na quarta-feira, vários veículos da polícia foram atacados durante os incidentes de Brixton na altura em que as autoridades tentavam pôr termo a um “evento musical não autorizado”, depois denúncias de residentes.

O Governo britânico anunciou na semana passada a reabertura de estabelecimentos comerciais que não sejam de primeira necessidade a partir do dia 04 de julho: hotéis, bares e restaurantes, entre outros.

No Reino Unido morreram até ao momento 43.230 pessoas de Covid-19 e 308 mil pessoas foram infetadas pelo novo coronavírus.

A pandemia de Covid-19 já provocou quase 484 mil mortos e infetou mais de 9,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.549 pessoas das 40.415 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

FNAM aponta quatro prioridades para reunião com o Governo

A presidente da Federação Nacional dos Médicos (FNAM) identificou hoje os salários, as 35 horas semanais, a integração dos médicos internos na carreira e as progressões como prioridades para o encontro da próxima sexta-feira com o Governo.

ULS de Braga certifica mais 35 profissionais no âmbito do Programa Qualifica AP

A Unidade Local de Saúde de Braga (ULS de Braga) finalizou, esta semana, o processo de certificação de mais 35 profissionais, no âmbito do Programa Qualifica AP, uma iniciativa desenvolvida em parceria com a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), através do Centro Qualifica AP.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights