BID atribui 820 milhões de euros para vacinação na América Latina

17 de Dezembro 2020

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) anunciou esta quinta-feira que vai atribuir mil milhões de dólares (820 milhões de euros) aos países da América Latina e das Caraíbas para adquirirem e distribuírem vacinas contra o novo coronavírus.

“Lançámos um novo programa no qual reprogramámos mil milhões de euros para garantir o acesso imediato de todos os países da América Latina e das Caraíbas não só à compra [de vacinas], mas também às infra-estruturas de distribuição e armazenamento necessárias”, disse hoje o presidente do BID, Mauricio Claver-Carone, em entrevista à agência EFE.

O dirigente realçou que a medida pretende garantir uma “aplicação equitativa e justa” das vacinas, através do acesso das “populações mais vulneráveis” à pandemia de Covid-19.

O responsável explicou ainda que o organismo sediado em Washington, capital dos Estados Unidos, assegurou esses mil milhões através da redistribuição de fundos que estavam destinados a outros programas, numa “tarefa árdua”, levada a cabo pelo vice-presidente do BID e ex-ministro das Finanças do Equador, Richard Martínez.

“Temos que ser ousados e criativos para garantir que as necessidades da região sejam satisfeitas”, disse Claver-Carone.

No âmbito desta operação, o BID conversou com os 26 países que lhe estão associados para verificar quais as suas necessidades no processo de compra e de distribuição da vacina.

O presidente do BID revelou que o organismo tem trabalhado mais de perto com seis países – Belize, Bahamas, El Salvador, Equador, Nicarágua e República Dominicana -, que disseram precisar de ajuda “imediata” face aos efeitos da pandemia.

O financiamento do BID vai ajudar os países a obterem doses através do programa da Organização Mundial da Saúde, Covax, que procura garantir a vacinação em todos os países em desenvolvimento.

A verba, disse ainda Claver-Carone, pretende ainda ajudar Governos a fazerem acordos com várias empresas farmacêuticas para obterem as vacinas e a financiarem os custos operacionais da distribuição.

O financiamento anunciado pelo BID junta-se aos 1.200 milhões de dólares (984 milhões de euros) previamente disponibilizados em 2020 e a fundos previstos para 2021, que tencionam apoiar os planos para a saúde pública na região, com o aumento do número de testes ao novo coronavírus e a melhoria do tratamento dos pacientes infetados.

A pandemia de Covid-19 provocou pelo menos 1.636.687 mortos resultantes de mais de 73,4 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Os Estados Unidos são o país com mais mortos (303.867) e também com mais casos de infeção confirmados (mais de 16,7 milhões).

Seguem-se, em número de mortos, o Brasil (183.735 mortos, mais de 7 milhões de casos), a Índia (143.709 mortos, mais de 9,9 milhões de infetados), o México (115.099 mortos, mais de 1,2 milhões infetados) e a Itália (66.537 mortos, mais de 1,8 milhões de casos).

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Exposição “Arte e Vida: Enfrentar a Esclerose Múltipla” de Emanuel Ribeiro abre em Lisboa

O artista Emanuel Ribeiro apresenta três das suas mais impactantes obras – “À Deriva”, “Grito Mudo” e “Libertação” – na exposição “Arte e Vida: Enfrentar a Esclerose Múltipla”. Organizada pela Sociedade Portuguesa de Esclerose Múltipla (SPEM), com o apoio da Merck e do El Corte Inglés (ECI), a exposição visa retratar as complexidades, desafios e triunfos da vida com esclerose múltipla.

Futuros nutricionistas enfrentam “tubarões” no Teatro Thalia

A NOVA Medical School vai trazer para a academia o conhecido modelo de captação de negócio ‘Shark Tank’, dia 28 de junho no Teatro Thalia, em Lisboa, proporcionando uma plataforma para os alunos finalistas da Licenciatura em Ciências da Nutrição se apresentarem ao mercado de trabalho.

Relatório de saúde STADA 2024: sistemas de saúde na Europa precisam de reformas urgentes

Os sistemas de saúde europeus estão em crise e necessitam de uma reforma urgente, revela o Relatório de Saúde da STADA 2024. Este inquérito representativo, que envolveu cerca de 46.000 entrevistados em 23 países europeus, destaca que os sistemas de saúde não conseguem atender adequadamente às necessidades de muitos europeus, levando-os a assumir a responsabilidade pela sua própria saúde.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights