Agência Europeia do Medicamento poderá ter conclusão sobre vacina da AstraZeneca no “final de janeiro”

8 de Janeiro 2021

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA, na sigla em inglês) anunciou esta sexta-feira que poderá concluir a sua avaliação sobre a vacina da farmacêutica AstraZeneca e da universidade de Oxford no “final de janeiro”.

Através da rede social Twitter, a EMA sublinha que “depois de ter recebido mais dados da empresa”, está “à espera de que a AstraZeneca submeta uma candidatura para a autorização condicional de marketing da sua vacina contra a Covid-19 na próxima semana”.

Caso isso aconteça, e “dependendo dos dados e do progresso da avaliação”, a agência europeia refere que poderá ter uma “possível conclusão” sobre a vacina em questão no “final de janeiro”.

Até ao momento, a EMA deu a luz verde para a utilização no espaço comunitário de duas vacinas contra a Covid-19: a da Pfizer/BioNTech e da Moderna.

A vacina da Moderna, com uma eficácia comprovada superior a 90%, foi a segunda a ter aval da EMA, na passada terça-feira, após a aprovação, em 21 de dezembro de 2020, do fármaco desenvolvido pelas farmacêuticas Pfizer e BioNTech, que está a ser utilizado no espaço europeu desde 27 de dezembro.

Segundo o executivo comunitário, a Moderna vai disponibilizar à UE 160 milhões de doses da vacina entre o primeiro e o terceiro trimestres de 2021, como anteriormente acordado entre Bruxelas e a farmacêutica.

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, anunciou hoje que a Comissão Europeia chegou a acordo com a Pfizer e BioNTech para a aquisição de 300 milhões de doses adicionais da sua vacina contra a Covid-19, perfazendo um total de 600 milhões de doses da vacina.

Além destas duas, a Comissão Europeia tem uma carteira com quatro outras potenciais vacinas: AstraZeneca, Sanofi-GSK, Johnson & Johnson e CureVac.

Até ao momento, no entanto, apenas a Moderna e a Pfizer e BioNTech pediram autorização à EMA.

A pandemia de Covid-19 provocou pelo menos 1.884.187 mortos resultantes de mais de 87,1 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 7.472 pessoas dos 456.533 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

OMS lança iniciativa SPECS 2030

A Organização Mundial de Saúde (OMS) acaba de lançar a iniciativa SPECS 2030, inserida na Global SPECS Network que tem como principal objetivo unir uma rede global de participantes para atingir a meta global do erro refrativo para 2030, que consiste no aumento de 40% na cobertura efetiva desta patologia.

Os enfermeiros (também) são cientistas

Lara Cunha: Enfermeira Especialista em Enfermagem Médico-cirúrgica; Research Fellow na Unidade de Investigação em Ciências da Saúde: Enfermagem da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra

49% das deslocações forçadas no mundo ocorrem em África

Conflitos, alterações climáticas, pobreza extrema e insegurança alimentar fazem disparar deslocações forçadas no continente africano e irão obrigar mais de 65 milhões de pessoas a fugir das suas casas até ao final de 2024. Subfinanciamento surge como principal ameaça à ajuda humanitária.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights