Sputnik V não estará na UE antes de final de junho, avisa Governo francês

1 de Abril 2021

A vacina russa contra a Covid-19 Sputnik V não deverá estar autorizada na União Europeia (UE) antes do final de junho, avisou esta quinta-feira o secretário de Estado para os Assuntos Europeus francês, Clément Beaune.

“Há uma primeira fase de avaliação que se chama de revisão científica que, dizem-nos com segurança, não terminará antes de meados de junho”, disse Clément Beaune em declarações ao Senado.

“E há ainda uma etapa final, que é o parecer da Agência Europeia de Medicamentos, sobre a autorização de comercialização, que leva mais algumas semanas. Portanto, a vacina não deverá ter autorização para ser aplicada antes do final de junho”, explicou o governante francês.

Para Beaune, por essa altura, a UE já deverá ter “muitas mais doses de vacinas disponíveis (de outros laboratórios), pelo que a sua necessidade será muito menos urgente”.

Clément Beaune também destacou a capacidade limitada de produção da vacina russa e criticou Moscovo por usar a Sputnik V como arma de propaganda no cenário internacional, replicando acusações já feitas por outros países e pela Comissão Europeia.

“Não sejamos ingénuos: eles (os governantes russos) têm uma estratégia de divisão na UE que, até agora, não funcionou”, explicou o secretário de Estado francês.

Entre os 27 Estados-membros da UE, apenas Hungria, Eslováquia e República Checa decidiram até agora usar a vacina russa, optando por não esperar pela sua validação por parte da Autoridade Europeia de Medicamentos.

Na Eslováquia, a decisão levou à renúncia, na terça-feira, do primeiro-ministro, Igor Matovic, que foi criticado pela decisão, mesmo dentro do seu Governo.

Outros países, como a Alemanha, dizem estar prontos para usar a vacina Sputnik V no combate à pandemia, desde que esta seja aprovada pela Agência Europeia de Medicamentos.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Dermatite atópica: Novos dados sobre upadacitinib

A AbbVie anuncia os resultados do LEVEL UP, um estudo de Fase 3b/4, aberto (mas com ocultação para o avaliador) e comparativo que avaliou a eficácia e a segurança de upadacitinib (com dose inicial de 15 mg uma vez por dia e ajuste da dose com base na resposta clínica) comparativamente a dupilumab (na dose aprovada) em adultos e adolescentes (com idade ≥ 12 anos) com dermatite atópica (DA) moderada a grave que tiveram uma resposta inadequada à terapêutica sistémica ou quando a utilização desse tipo de terapêuticas era desaconselhada.

Guilherme Veríssimo: “A saúde começa pela boca”

A evidência científica comprova que a má saúde oral está diretamente relacionada com 23 doenças sistémicas, entre elas a diabetes e as doenças cardiovasculares, e cinco tipos de cancro. Esta realidade pode surpreender a maior parte da população, mas não os dentistas. Em entrevista ao nosso jornal, o Médico Dentista, Guilherme Veríssimo, frisa que a “saúde oral não se resume a uma questão estética”, deixando alguns alertas para a importância da correta higienização dos dentes. O médico dentista aproveitou ainda para desmistificar alguns dos principais mitos associados à doença peridontal.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights