Balanço mundial totaliza 4.323.957 mortes desde o início da pandemia

12 de Agosto 2021

A pandemia de Covid-19 já fez pelo menos 4.323.957 mortos em todo o mundo desde que a Organização Mundial de Saúde (OMS) detetou a doença na China, em finais de 2019, segundo o balanço desta quinta-feira da AFP.

Desde o início da pandemia foram detetados 204.685.500 casos de infeção em todo o mundo, refere o relatório realizado pela agência de notícias francesa France-Presse.

Estes valores têm como base a contagem comunicada diariamente pelas autoridades sanitárias de cada país, mas excluem as revisões posteriores de alguns organismos responsáveis pela realização de estatísticas.

Tendo em conta a mortalidade direta e indireta, a OMS estima que o balanço da pandemia de Covid-19 possa ser duas ou três vezes mais elevado do que o que tem sido oficialmente comunicado.

Uma grande parte dos casos menos graves ou assintomáticos continua por detetar, apesar do incremento dos meios de despistagem em vários países.

Nas últimas 24 horas, foram contabilizadas mais 10.063 mortes e 694.642 novos casos, em todo o mundo.

Os países que registaram o maior número de mortes nos relatórios mais recentes foram a Indonésia, com mais 1.466 mortes, o Brasil (975) e a Rússia (808).

Os Estados Unidos são o país mais afetado em termos de óbitos e casos de contágio, com 618.479 mortes e 36.190.390 casos, de acordo com a contagem da Universidade Johns Hopkins.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afetados são o Brasil, com 565.748 mortes e 20.245.085 casos, a Índia, com 429.669 mortes (32.077.706 casos), o México, com 246.203 mortes (3.020.596 casos) e o Peru, com 197.146 mortes (2.128.516 casos).

Entre os países mais atingidos, o Peru é o que apresenta o maior número de mortes em relação ao número da população, com 598 mortes por cada 100.000 habitantes, seguido da Hungria (311), Bósnia (295), República Checa (284) e Brasil (266).

América Latina e as Caraíbas totalizam até hoje 1.398.578 mortes e 41.774.939 casos, a Europa 1.216.930 mortes (60.122.641 casos), a Ásia 714.964 mortes (46.810.425 casos), Estados Unidos e Canadá 645.165 mortes (37.634.563 casos), África 179.969 mortes (7.121.257 casos), Médio Oriente 166.849 mortes (11.125.580 casos) e a Oceânia 1.502 mortes (96.103 casos).

Este balanço foi realizado com base nos dados recolhidos pelas delegações da AFP junto das autoridades nacionais competentes e informações da OMS.

Por causa de correções ou devido à publicação tardia dos dados, os números relativos aos aumentos verificados nas últimas 24 horas podem não corresponder exatamente aos que foram publicados na quarta-feira.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Guilherme Veríssimo: “A saúde começa pela boca”

A evidência científica comprova que a má saúde oral está diretamente relacionada com 23 doenças sistémicas, entre elas a diabetes e as doenças cardiovasculares, e cinco tipos de cancro. Esta realidade pode surpreender a maior parte da população, mas não os dentistas. Em entrevista ao nosso jornal, o Médico Dentista, Guilherme Veríssimo, frisa que a “saúde oral não se resume a uma questão estética”, deixando alguns alertas para a importância da correta higienização dos dentes. O médico dentista aproveitou ainda para desmistificar alguns dos principais mitos associados à doença peridontal.

INEM esclarece que chamadas via 112 são descentralizadas

O INEM esclareceu que as chamadas que dão entrada via 112 para o Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) são descentralizadas, avançando que hoje de manhã estavam ao serviço 48 técnicos, 24 dos quais em atendimento.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights