São Paulo admite erro na contagem de casos e fará revisão

21 de Janeiro 2022

A Secretaria da Saúde de São Paulo, o estado mais populoso do Brasil e o mais afetado pela pandemia, admitiu hoje que os dados da Covid-19 na região estão desfasados, assegurando que fará uma revisão dos números.

O reconhecimento do problema foi feito pela diretora do Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE), Tatiana Lang, ao portal de notícias G1, após o ‘site’ ter revelado que, nos primeiros dias de janeiro, o Governo de São Paulo reportou menos casos novos de Covid-19 em todo o estado do que a prefeitura contabilizou apenas na capital ‘paulista’.

Entre os dias 01 e 19 de janeiro, o município de São Paulo notificou 96.932 casos do novo coronavírus, período em o Governo do estado de São Paulo, que reúne dados de todas as cidades da região, reportou apenas 67.413 infeções.

Segundo Tatiana Lang, os técnicos da área da Saúde irão reunir-se na próxima segunda-feira para tentar solucionar as discrepâncias de dados.

Entre os possíveis motivos para o erro, a diretora indicou o impacto do ‘apagão’ de dados do Ministério da Saúde, atrasos na inserção de informações por parte dos outros municípios e duplicidade de registos nas base de dados.

A recolha de dados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) do Brasil enfrentou, durante várias semanas, problemas devido a ataques cibernéticos levados a cabo por ‘hackers’ no final do ano passado à plataforma do Ministério da Saúde do país sul-americnao.

No momento, o estado de São Paulo totaliza 4.534.066 infeções e 156.165 óbitos desde o início da pandemia.

O Brasil enfrenta atualmente uma nova vaga da pandemia causada pela rápida expansão da Ómicron, uma nova variante, classificada como preocupante e muito contagiosa pela Organização Mundial da Saúde (OMS), detetada na África Austral e, desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta em novembro, tornou-se dominante em vários países, incluindo em Portugal e o próprio Brasil.

O país sul-americano já acumula mais de 622 mil mortos e 23,5 milhões de infetados.

A Covid-19 provocou 5.553.124 mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Trabalhadores do Hospital de Braga não querem regressar à Parceria Público-Privada

Os trabalhadores do Hospital de Braga não querem regressar à Parceria Público-Privada (PPP), garante Camilo Ferreira, coordenador da Comissão de Trabalhadores, que recordou, em conversa com o HealthNews, a exaustão dos profissionais naquele modelo de gestão e, como Entidade Pública Empresarial (EPE), a melhoria das condições de trabalho e do desempenho.

Governo quer “articulação virtuosa” entre entidades de saúde

O Governo está a avaliar as atribuições de entidades como a Direção-Executiva do SNS, a DGS e o Infarmed para garantir “uma articulação virtuosa” que consiga diminuir a burocracia e concretizar as políticas de saúde, anunciou hoje a ministra.

Menopausa: Uma doença ou um processo natural de envelhecimento?

A menopausa foi o “elefante na sala” que a Médis trouxe hoje ao Tejo Edifício Ageas Tejo. O tema foi abordado numa conversa informal que juntou diversos especialistas. No debate, os participantes frisaram que a menopausa não é uma doença, mas sim um “ciclo de vida”. 

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights